Processo sobre queima de urnas em Canindé é retirado de pauta

0

O agiota Floro Calheiros é um dos acusados de envolvimento no caso (Foto: Arquivo Portal Infonet)
Estava marcado para a sessão do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na manhã desta quinta-feira, 18, o julgamento do recurso sobre a queima de urnas eleitorais no município de Canindé do São Francisco em 2001. Mas, o relator, o juiz José Anselmo Oliveira pediu vistas do processo que retornará à pauta no próximo dia 23 a partir das 15h30.

Entre os recorrentes no processo que foi retirado de pauta, o agiota Floro Calheiros [foragido da polícia há dois anos], o ex-prefeito de Canindé, Genivaldo Galindo e o filho Genilson Galindo.

Relembre

Em 2001, houve a suspeita de fraude nas eleições em Canindé do São Francisco por conta da queima de algumas urnas. À época, o Ministério Público determinou a intervenção no município e promotores realizaram uma força-tarefa, descobrindo no final das investigações, um esquema de desvio de dinheiro.

Por Aldaci de Souza


 

Comentários