Procuradores do Município podem cruzar os braços

0

Maria Conceição, presidente da Apemaju
Representantes da Associação dos Procuradores do Município de Aracaju (Apemaju) utilizaram a Tribuna Livre da Câmara de Vereadores, na manhã desta segunda-feira, 30, para mostrar a pauta de reivindicações entregue ao prefeito Edvaldo Nogueira.  Eles estão lutando para aumentar os salários que atualmente chegam a pouco mais de R$ 3 mil para cerca de R$ 9 mil. Nos próximos dias, a categoria vai se reunir em assembléia, não descartando a possibilidade de uma greve.

De acordo com a diretora-presidente da Apemaju, Maria Conceição S. de Vasconcelos, os procuradores decidiram pedir apoio aos vereadores, por meio do uso da Tribuna Livre para mostrar a insatisfação.  “Após o anúncio do aumento de 1%, a gente veio mostrar a situação salarial dos procuradores do município, que chega a ser aviltante. Para se ter uma idéia, o salário base de um procurador é de R$ 473, chegando a pouco mais de R$ 3 mil, com a produtividade. Estamos ganhando menos do que determina a lei, ou seja,  de que um procurador deve receber equivalente a um desembargador. Com isso, estamos lutando por um piso salarial de R$ 9 mil”, explica Maria Conceição.

Ela disse ainda que a categoria está com os salários defasados há mais de dois anos. “Só procuramos os vereadores, porque chegamos à exaustão. E só não cruzamos os braços ainda por conta da nossa responsabilidade como profissionais, mas voltaremos a nos reunir em assembléia nos próximos dias e uma greve não está descartada”, alerta pedindo que os vereadores se sensibilizem com a situação dos 58 procuradores municipais da ativa e dos 15 aposentados.

“É bom deixar claro que os procuradores do município não estão querendo um reajuste de um mil por cento, estamos lutando para que o prefeito reveja as nossas propostas como categoria diferenciada, já que existe uma tabela para que a categoria receba de 40 a 60% do que ganha um desembargador”, explica a procuradora Maria Conceição.

Por Aldaci de Souza

Comentários