SAAE detecta ligações de água clandestinas em Carmópolis

0

Ligação irregular detectada pelo SAAE em propriedade do vereador (Foto: Divulgação T. Dantas)

Técnicos do Sistema de Abastecimento de Água e Esgoto (SAAE) flagraram ligações clandestinas na rede de esgoto nos povoado Bom Jardim no município de Carmópolis, inclusive na residência do vereador Edval Ramos (PSC), que garante estar tentando regularizar a situação há muito tempo.

“Quando eu adquiri o terreno no Loteamento Bom Jardim, a água já havia sido puxada e não era o SAAE que administrava. Com o passar do tempo, o SAAE me chamou para informar que precisávamos regularizar a situação, só que para isso eu precisava da documentação da pessoa que vendeu. Quando entrei em contato com o vendedor, ele estava viajando. Ao retornar eu levei o documento até o SAAE, mas disseram que precisava do número da identidade e CPF do vendedor. Já estou providenciando para fazer a regularização. Eu não fiz um gato. Gato é quando você corta a água ou energia da sua casa e coloca uma irregular. Não fiz isso, a água foi puxada para o Loteamento Bom Jardim às claras, não foi nada escondido. Acredito que por eu ser um vereador de oposição, estejam querendo denegrir a minha imagem”, esclarece o vereador Edval Ramos.

De acordo com o coordenador do SAAE, Marcos Valério de Rezende, o diretor de Operações Paulo Sérgio constatou os primeiros sinais de irregularidade. “Olhamos com cautela e realmente ficou comprovada a ligação clandestina na casa do vereador. O pior de tudo é que o parlamentar não é usuário do sistema, ou seja, sua casa não tem registro no SAAE, o que agrava ainda mais sua situação. Também fizemos imagens para estudar as providências jurídicas que serão tomadas, mas já prestamos um boletim de ocorrência contra o vereador na delegacia da cidade”, ressalta Marcos Valério.

Ele disse ainda que o SAAE tem feito um trabalho intenso de combate às ligações clandestinas, buscando conscientizar os usuários para o risco do chamado ‘gato d’água’.

“Qualquer pessoa, de A a Z, que praticar esse tipo de irregularidade, será combatido. A empresa é pública e sobrevive de renda. Se há pessoas que não querem pagar pelo consumo, temos por obrigação acabar com esse crime, algo que prejudica também toda a coletividade, pois a pessoa que não paga pela água, desperdiça o líquido, não raciona”, entende Marcos Valério lembrando no caso de Carmópolis há um agravante porque o município não é banhado por nenhum rio, mas por poços.

Por Aldaci de Souza com informações da T. Dantas

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais