Servidores do INSS decidem manter a greve

0
Isaac Silveira: "Sem proposta, continuamos em greve por tempo indeterminado" (Foto: Portal Infonet)

Servidores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) decidiram em assembleia geral realizada na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência no Estado de Sergipe (Sindiprev/SE), dar continuidade à greve por tempo indeterminado. Todos os serviços estão parados à exceção das perícias médicas agendadas. No país, são mais de 87% de adesão e em Sergipe, 93%.

Com as atividades paralisadas desde o último dia 9 de julho, a categoria resolveu dar continuidade ao movimento reivindicando reajuste salarial de 27,3% e condições de trabalho, devido à falta de negociações por parte do Governo Federal.

“A greve continua, completamos 13 dias e queremos que o Governo apresente uma proposta oficialmente. Na inexistência da proposta, continuamos com as atividades paralisadas por condições de trabalho, reajuste salarial que não é recuperação das perdas salariais e a questão da jornada de trabalha. É impossível o servidor do INSS trabalhar mais do que 30 horas semanais, mais do que seis horas diárias. Banco e qualquer outra repartição mesmo privada, são 30 horas”, ressalta o presidente do Sindiprev/SE, Isaac Silveira.

Ele enfatizou não saber até quando as perícias médicas serão mantidas. “Nós estamos mantendo as perícias médicas agendadas porque alguns servidores da chefia não aderiram, se eles aderirem, isso pode acabar, por enquanto está sustentado em um fio muito tênue. Nós estamos sendo compreensivos com o INSS e o Instituto não está sendo correto conosco. Essa é a greve mais forte do INSS, são mais de 87% no país inteiro, do Iapoque ao Chuí e em Sergipe a adesão é de 93%”, enfatiza.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais