Servidores do Samu tentar mudar projeto de reajuste

0
Categoria pediu apoio aos deputados estaduais (Fotos: Portal Infonet)

Servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), retornaram à Assembleia Legislativa de Sergipe na manhã desta sexta-feira, 27 para pedir apoio aos deputados quanto ao projeto de reajuste salarial da categoria. Isso porque descobriram que no projeto enviado pelo Governo, foi dada a variável reivindicada, mas retirado o reajuste linear de 6,5%.

“No acordo para o fim da greve, o Governo prometeu benefícios, mas deixa de contemplar a categoria com o aumento linear. Ou seja, deu com uma mão e tirou com a outra. Viemos pedir apoio aos deputados e o presidente do nosso sindicato, Adilson Melo, foi chamado à Secretaria de Saúde, para uma conversa com a secretária Joélia Silva”, explica o representante do Sindicato dos Condutores de Ambulâncias da Saúde (Sindiconam), Robério Batista.

Robério Batista: "Deu com uma mão e tirou com a outra"

Gilson Andrade analisa projetos na Sala das Comissões

O presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Sergipe, Gilson Andrade (PTC), disse estar preocupado com a situação dos servidores do Samu, principalmente porque não há tempo para fazer emendas ao projeto que deverá ser votado na última sessão desse semestre, marcada para a terça-feira, 1º de Julho.

“Os representantes do sindicato nos procuraram ontem para solicitar que não votássemos o projeto de reajuste para a categoria, do jeito que está, pois trará prejuízos para os trabalhadores. É que no processo de discussões da greve, o Governo pegou a variável e fixou com o salário base deles. Só que congelou o salário e o reajuste de 2013 e 2014 ficaram sem aumento linear. Vamos estudar o que poderemos fazer, pois o tempo é curto e se reprovarmos  ou apresentarmos emendas, o Governo poderá vetar”, ressalta Gilson Andrade.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais