Situação financeira do Estado é exposta ao TJ

0
Jackson Barreto se reuniu com o desembargador Cláudio Dinart  Déda Chagas (Foto: arquivo Infonet)

Na tarde desta segunda-feira, 17, o governador em exercício, Jackson Barreto, participou de uma reunião com o presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, desembargador Cláudio Dinart Déda Chagas, com o objetivo de expor a situação de extrema dificuldade financeira enfrentada pelo Estado e buscar soluções conjuntas para minimizar o déficit da previdência estadual. A reunião ocorreu no Palácio da Justiça Tobias Barreto, sede do Poder Judiciário, no Centro da capital.

“Buscamos realizar essa reunião com o desembargador Cláudio Déda e com a direção do Tribunal de Justiça para mostrar a situação financeira do Estado e demonstrar nossa preocupação com a ampliação do déficit na previdência. Viemos, respeitosamente,  apresentar, viabilizar a compreensão e a construção da busca conjunta de soluções”, afirmou Jackson Barreto.

Sincronia de Ações

De acordo com o secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, Jeferson Passos, a exposição buscou mostrar a evolução do comprometimento da receita corrente líquida face às despesas com pessoal e o crescente déficit da previdência. “Essa é uma preocupação pois isso tem consumido recursos cada vez maiores do Estado. O objetivo dessa exposição foi demonstrar a atual situação do Estado em relação a essa temática e buscar soluções conjuntas. A partir dessa reunião, ocorrerão reuniões entre as equipes técnicas do da administração estadual e do Poder Judiciário, aprofundando os números que serão apresentados para apreciação dos desembargadores ”, informou o secretário.

Segundo o presidente do TJ, desembargador Cláudio Déda, esta é uma forma republicana de haver entendimento entre os poderes, evidentemente, mantendo a sua independência. “Os Poderes conversam e independentemente definem determinadas questões. A questão previdenciária é problemática e vamos examinar com nossa equipe técnica para definir como agir, a partir de uma decisão do Pleno, já que o presidente não decide individualmente. Vamos avaliar todas as possibilidades efetivas de assumirmos essa responsabilidade com a questão previdenciária”, concluiu o presidente.

Participaram da reunião, o vice-presidente do TJ, desembargador Edson Ulisses de Melo, além dos desembargadores Roberto Porto, Suzana Carvalho, o juiz auxiliar da presidência do TJ, José Pereira Neto, e o secretário interino de Estado da Fazenda, José de Oliveira Júnior.

Fonte: ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais