Sukita se despede do povo de Capela e pede voto

0

Centenas de pessoas estão nas ruas de Capela despedindo-se do ex-prefeito Manoel Messias Sukita. Ele precisa se entregar à Polícia Federal nesta sexta-feira, 14, para cumprir a sentença condenatória de 13 anos e 9 meses de prisão. ”Eu não sabia que a política podia fazer isso com uma pessoa. Passei oito anos da minha vida governando a terra em que nasci e agora vou passar 13 anos na cadeia”, lamenta Sukita em sua rede social.

Ao conversar com o povo da cidade, Sukita pediu força e contribuição com o voto de cada capelense explicando que ainda permanece candidato a deputado federal. “Vote por Sergipe e por Capela e fiquem com Deus. Eu vou estar na prisão, mas com a fé que tenho certeza de que ninguém vai tirar nosso mandato”, disse ele, explicando que atendia a sete mil pessoas mensalmente e não fazia corrupção eleitoral.

Após abraçar familiares, correligionários e moradores da cidade, Sukita seguiu para a imagem de Nossa Senhora da Purificação, que também foi construída na sua gestão, para pedir a benção e proteção divina.

A Polícia Federal já recebeu o mandado de prisão expedido pela Justiça sergipana contra o ex-prefeito Manuel Messias Sukita, acusado de prática de corrupção eleitoral. De acordo com informações do advogado Emmanuel Cacho, a juíza que expediu o mandado de prisão, Andrea Caldas de Souza Lisa, da 5ª Zona Eleitoral de Sergipe, determinou a dispensa do uso de algemas na ocasião da prisão. Será uma apresentação espontânea, conforme destaca o advogado.

Entenda o caso

O ex-prefeito Sukita foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral por corrupção eleitoral, desvio de verbas públicas e autorização de despesas não previstas em lei. Além de Sukita também foram condenados às mesmas penas, os auxiliares da prefeitura de Capela na época que o acusado exercia mandato de prefeito, no ano de 2012: Ana Carla Santana Santos (ex-secretária municipal de Assistência Social), Maria Aparecida Nunes (ex-secretária de Assistência Social substituta) e Arnaldo Santos Neto (ex-diretor financeiro do fundo de assistência social).

Conforme a denúncia do Ministério Público Eleitoral, Sukita teria distribuído dinheiro em troca de votos com o objetivo de beneficiar a campanha de Josefa Paixão e Carlos Milton Tourinho, que disputavam o comando da Prefeitura de Capela. A denúncia revela que Sukita teria distribuído recursos públicos, sem critérios, a um grupo de cerca de sete mil beneficiários de programas sociais em troca de votos. Cada um dos beneficiários foi contemplado com R$ 40, associado ao número da candidatura registrado na Justiça Eleitoral naquela época.

por Raquel Almeida

 

 

Comentários