Trabalhadores param em protesto à Lei das Privatizações

0

Ato reuniu trabalhadores no Calçadão da rua João Pessoa (Fotos: Portal Infonet)

Em protesto contra o Projeto de Lei de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), que regulamenta as terceirizações, representantes da União Geral dos Trabalhadores (UGT) e dos sindicatos filiados, realizaram um ato na manhã desta segunda-feira, 26 no Calçadão da Rua João Pessoa.

O presidente da UGT/SE, Ronildo Almeida informou que os trabalhadores não aceitam qualquer retrocesso nos direitos já conquistados.

“Esse ato é uma deliberação da classe trabalhadora na luta pela diminuição da jornada de trabalho de 44 horas semanais para 40 horas sem redução de salários, pelo fim do fator previdenciário e principalmente contra o PL 4330/2004 visando ampliar as terceirizações nas empresas e fazer com que os trabalhadores sejam mais explorados ainda”, explica o presidente da UGT/SE, Ronildo Almeida.

Ronildo Almeida, presidente da UGT

Ronildo Almeida lembrou que se o Projeto de Lei do deputado Sandro Mabel for aprovado, representará a diminuição dos direitos trabalhistas, diminuição dos salários e ampliação da Jornada de Trabalho. “Nós da UGT somos contra projeto e vamos ocupar as ruas de Sergipe e do Brasil para barrar. No próximo dia 30 a depender de cada sindicato, deverá haver mais um ato a exemplo do que acontecerá no restante do país”, afirma.

Quanto ao Fator Previdenciário, ele enfatizou que a UGT não aceitará que na idade em que mais se precisa de cuidados, que é no período da aposentadoria, reduzam os salários.

“Com esse fator previdenciário, criado em 1999, proposto pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e continuado nos Governos Lula e Dilma, o trabalhador que contribuiu por toda a vida para a Previdência terá seu salário reduzido em até 40%”, lamenta Ronildo Almeida.

“O Partido dos Trabalhadores tem que ter mais responsabilidades em defesa dos trabalhadores e isso não está acontecendo. Estamos reclamando de uma coisa primordial e essencial e eu prefiro muito mais estar em paz com os trabalhadores”, conclui.

Na ocasião, os trabalhadores entregaram panfletos às pessoas que passavam pelo Calçadão da rua João Pessoa esclarecendo os motivois do protesto no Dia Estadual de Lutas da UGT.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais