Transporte coletivo discutido na Câmara

0

Adierson Monteiro fala na tribuna da Câmara/Foto: César de Oliveira
A sessão especial desta segunda-feira, 22 na Câmara Municipal de Aracaju, discutiu o funcionamento do sistema de transporte coletivo em Aracaju.  A sessão contou com o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes (Setransp), Adierson Monteiro, do superintendente, José Carlos Amâncio e do empresário dos transportes e ex-vereador, Zeca da Silva, além de representantes de Sistema Integrado de Transportes. 

Temas como idade da frota e gratuidade foram debatidos atendendo requerimentos dos vereadores Emmanuel Nascimento (PT) e Jailton Santana (PSC).  “Foi mostrado recentemente aqui nesta Casa por meio da Associação dos Motoristas Auxiliares dos Táxis de Aracaju, um vídeo sobre as condições dos ônibus e nós convidamos os empresários dos transportes para que se pronunciem sobre o assunto, pois a qualidade dos ônibus é horrorosa”, destaca.

Jailton Santana disse ainda que a Prefeitura de Aracaju garantiu que até o próximo dia 30 de junho, haveria renovação da frota.  “A promessa era de 100 novos ônibus até o dia 30. Já estamos no dia 22 e até agora, foram colocados em circulação até dez ônibus supostamente novos para a região do bairro Santa Maria”, cobra.

Empresários

Ao usar a tribuna, o presidente do Setransp, Adierson Monteiro afirmou que pela primeira vez em 30 anos, o sindicato teve a oportunidade de levar ao parlamento, os problemas enfrentados pelos empresários e apresentar um elenco de sugestões visando facilitar a desoneração da tarifa.  “O transporte coletivo que é um serviço necessário para a sociedade, não tem sido levado em conta pelos governantes, quando se trata da isenção de tributos e redução de outros itens que fazem parte de planilha da tarifa”, enfatiza.

Adierson disse ainda que “apesar dos empresários serem taxados de ladrões, sugadores da sociedade, é preciso esta mesma sociedade tenha conhecimento da importância destes empresários para o crescimento da cidade, a sua participação na receita do Estado e município e quais as dificuldades enfrentadas pelo setor”. 

Comentários