Venâncio diz que João “está vivo” e que Déda deve agradecer aos irmãos Amorim

0

Venâncio Fonseca “O sinal está verdinho para João em Aracaju”
Para o deputado Venâncio Fonseca (PP), o candidato ao Governo de Sergipe pelo DEM, João Alves Filho, deve ser considerado “um vitorioso, não só porque venceu em alguns municípios, mas porque lutou contra várias forças econômicas em um só palanque”. O deputado agradeceu aos que confiaram os votos a sua pessoa o fazendo o deputado mais votado da coligação e disse que João ‘está bem vivo politicamente’.

Durante pronunciamento na manhã desta terça-feira, 5 na Tribuna da Assembléia Legislativa, Venâncio Fonseca, “conseguiram a vitória, mas não conseguiram derrotar humilhantemente o grande líder desse estado que se chama João Alves Filho. Pense na força desse cidadão que perdeu a eleição, mas não perde a esperança e a força para lutar, principalmente porque em Aracaju, a eleição deixou o sinal bem verdinho para João”, ressalta.

Venâncio disse ainda que está indo para o quinto mandato. “Pra mim, de todas as minhas eleições, essa foi a mais bonita que eu fiz na minha vida, mas solidária, modesta, participativa, símbolo da luta da resistência de João Alves, que enfrentou com muita garra. Ele não foi derrotado, é um vitorioso, pois mostrou para todo o povo de Sergipe que não tem medo do poder econômico e do poder político. Mostrou que está vivo e bem vivo politicamente”, acredita.

Agradecimento

O deputado disse ainda que o governador Marcelo Déda deve agradecer ao campeão de votos para o Senado, Eduardo Amorim (PSC). “Ele deve agradecer primeiro a Deus e segundo aos Amorim e terceiro ao povo de Sergipe. Primeiro subestimaram muito Eduardo Amorim e depois o chamaram. E sabe qual o resultado disso tudo: o senador Amorim teve mais votos do que Déda. Ele arrastou Déda e se o governador tiver humildade, tem que baixar a cabeça e agradecer aos Amorins, por o ter puxado, o ter salvado”, diz.

Aracaju

Referindo-se à vitória de João Alves Filho em Aracaju, que obteve 139 mil 147 votos contra 133 mil 611 votos de Marcelo Déda, o deputado disse: “No segundo turno, o prefeito Edvaldo Nogueira tem que ficar longe do palanque de Dilma”.

Por Aldaci de Souza

Comentários