Zezinho Sobral acredita que Sergas deve ser extinta e não privatizada

0
Para o parlamentar, a Sergas é uma empresa para cobrar tributos (Foto: Assessoria do Parlamentar)

O deputado estadual Zezinho Sobral, líder do Governo na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), defende a extinção da Sergipe Gás (Sergas) por entender que a empresa foi criada apenas para arrecadar tributos e acumular lucros, sem investir no Estado.

Zezinho explica que o Governo de Sergipe possui 51% das ações ordinárias, porém, nas preferenciais o Estado detém apenas 17%. Segundo o deputado, o contrato com a empresa é feito de maneira que o Governo não opina nas decisões da Sergas. “Belivaldo já esteve na Sergas, já oficiou, e busca interrogar a empresa em relação a suas atitudes. A partir dai Belivaldo levantou várias possibilidades, inclusive de fazer uma privatização, alienação, uma venda da Sergas, isso é o que está em estudo, não chegou a conclusões”, diz.

O deputado afirma não conhecer a fundo a estrutura da Sergas, mas pelo que percebe, a empresa tem a finalidade apenas de cobrar tributos dos sergipanos. “A distante, sem conhecer os detalhes, me parece que a Sergas é uma empresa para arrecadar tributos, porque ela não nasceu investindo, ela nasceu cobrando. Então você constrói um gasoduto privado dentro de sua terra e a Sergas cobra tributos sobre isso, sem ter investido nada. A natureza jurídica da Sergas é cobrar tributos, eu não conheço nada e nenhum modelo desse no mundo, pode ser desconhecimento da minha parte, mas eu não conheço”, aponta Zezinho.

O parlamentar questiona o motivo da criação de uma empresa para cobrar tributos se já se tem a Secretaria da Fazenda que já cobra isso naturalmente. “E ainda vai privatizar essa empresa? Qualquer um cobrando tributos tem lucro, e empresa privada não foi criada para cobrar tributos. Ai dizem: mas ela tem que desenvolver o mercado de gás, ela tem que fazer gasodutos. Quero saber quantos gasodutos ela fez ao longo de todos esses anos que ela foi criada? O que ela investe, ela recebe do contribuinte com retorno de 20% ao ano, retorno de investimento, ou seja, ela é uma empresa para gerar tributos”, afirma Zezinho que completa dizendo que é preciso apurar para onde foi o dinheiro arrecadado ao longo dos anos.

“Se ela for isso, se ela estiver com esse propósito, eu quero saber quanto está entrando de dividendos para o Estado? Qual a participação do Estado nesse dinheiro? Quanto isso representa? Quanto vai para fora? Quanto as empresas acionistas ganham em cima do tributo cobrado do povo sergipano? Se for assim, eu acho que ela não tem que ser privatizada, ela tem que ser extinta, e fazer um levantamento de quanto foi arrecadado durante todos esses anos e de quem se locupletou com esse dinheiro, porque a Mitsui Gás, o acionista estrangeiro, comprou por 20 milhões de dólares, e ela arrecada muito mais que isso por ano, e, devolver isso para o patrimônio sergipano, porque tributos são para o Estado e não para empresa privada”, conclui o líder do Governo.

O Portal Infonet entrou em contato com a Sergás que informou que pretende se pronunciar posteriormente. O Portal Infonet permanece à disposição através do e-mail jornalismo@infonet.com.br ou através do telefone 2106-8000.

Por Karla Pinheiro

Comentários