Aracaju tem 3 mil notificações de dengue, mas LirAa exibe baixo risco

0
O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, comemorou o pequeno risco de surto epidemiológico. (Foto: Portal Infonet)

O resultado do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti (LirAa) em Aracaju durante o ano de 2019 foi divulgado na manhã desta sexta-feira, 17, pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). A notícia da queda de 25% dos dados, saindo do quadro de 1,2 para 0,9, foi comemorada pelo gestor, que publicizou o panorama de notificações e casos confirmados da doença: 3.096 notificações e 1.763 suspeitas confirmadas em 2019.

As informações foram transmitidas em coletiva de imprensa, quando a equipe da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) apontou os caminhos traçados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para obter o dado atual, considerado como de baixo risco para o aparecimento de surtos ou epidemias. “Significa que nossa cidade está em baixo risco, mas que é preciso fazer um alerta, pois mesmo com essa vitória não podemos parar. Existe um alerta nacional de que o nordeste tenha, a partir de março, um surto de dengue. Estamos tomando as medidas preventivas, continuando o trabalho e intensificando para que Aracaju não tenha nenhum surto”, destacou Edvaldo Nogueira.

Em comparação ao último levantamento praticado pela PMA, um dado chama a atenção: o maior número de registros migrou de bairros da zona norte para os bairros Salgado Filho, Pereira Lobo e Grageru, ambos na zona sul de Aracaju. A região foi destacada pela SMS como de médio risco e, portanto, tem ganhado atenção especial da gestão.

“Houve um trabalho no final do ano, entre setembro e dezembro, com foco nas áreas que o LirAa tinha apresentado altos índices, principalmente na zona norte. Agora o panorama se inverteu, nós começamos o primeiro mutirão no dia 10 e no próximo sábado retornaremos para as áreas que detectamos que há um índice de infestação maior”, ressaltou o prefeito.

Segundo ele, a participação popular será necessária para a erradicação desses números, principalmente quando se trata de infestação predial, cujo dado demonstrou crescimento no levantamento. “Em algumas áreas aumentou o índice de infestação predial, principalmente nas casas, em ralos, em plantas, e isso nos chamou atenção, pois houve um aumento nessa quantidade de focos. Queremos envolver a comunidade e a prefeitura está fazendo e fará sua parte intensificando o combate à dengue. É muito importante que cada cidadão em sua casa possa colaborar”, finalizou.

por Daniel Rezende

Comentários