Atraso em peça de aparelho barra tratamento oncológico de 20 mulheres

0
Segundo a representante da ONG Mulheres de Peito, Sheila Galba, desde outubro do ano passado que há esse atraso na chegada da peça responsável pelo funcionamento do aparelho (Foto: arquivo/SES)

A falta de uma peça específica, chamada de ‘fonte de irídio’, para o tratamento de mulheres com câncer do colo do útero, tem preocupado cerca de 20 pacientes que estão à espera para iniciar o tratamento conhecido como braquiterapia. Segundo a representante da ONG Mulheres de Peito, Sheila Galba, desde outubro do ano passado que há esse atraso na chegada da peça responsável pelo funcionamento do aparelho.

“Nós entendemos que a peça precisa ser importada, mas as mulheres não podem ficar sem a continuação do tratamento oncológico”, diz Sheila Galba. Ela conta também que no ano passado o governo do estado de Sergipe estabeleceu convênio com um hospital do estado de Alagoas, onde as mulheres se deslocavam para dá continuidade ao tratamento. “Esse convênio foi encerrado em outubro do ano passado”, lamenta Galba.

Ainda segundo ela, cerca de 20 mulheres ainda não começaram o tratamento, o que é bastante preocupante. “Assim que algumas mulheres terminam o tratamento radioterápico é necessário que a braquiterapia seja feita o mais rápido possível”, informa. “Cada dia é de suma importância para o combate do câncer. Não se pode esperar tanto assim”, acrescenta.

SES

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a empresa contratada pelo órgão para o fornecimento da fonte de irídio, equipamento utilizado no tratamento da braquiterapia, e que é produzido fora do país, informou que a fonte ficou retida no porto de Salvador devido aos procedimentos de importação, mas que a empresa já está solucionando. “Para que as pacientes não ficassem desassistidas, a secretaria de Estado da Saúde realizou uma contratação emergencial de uma clínica aqui de Aracaju, e a partir desta quinta-feira, 16, as pacientes já começaram a serem contactadas para o agendamento de uma nova reavaliação que começa nesta sexta-feira, 17 e, em seguida, a continuidade do tratamento”, afirma a pasta.

por João Paulo Schneider 

Comentários