Campanha de vacinação assegura proteção de aracajuanos contra doenças

0
Campanha de multivacinação seguirá até o dia 30 deste mês.(Foto: Valter Sobrinho ASCOM-SES)

Foram iniciadas na última segunda-feira, 5, as Campanhas Nacionais de Multivacinação, contra a Poliomielite e Sarampo. A vacinação, este ano, além de imunizar as crianças contra a doença causadora da paralisia infantil, e prevenir a população do sarampo, doença que havia sido erradicada e agora está voltando, tem também o objetivo de atualização da caderneta vacinal. A meta do Ministério da Saúde é de que 95% do
público-alvo seja vacinado.

Para a realização das três campanhas na capital sergipana, a Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), dispôs 28 Unidades Básicas de Saúde (UBS), com 44 salas de imunização. Algumas das UBS do município estão funcionando exclusivamente para atendimento de pacientes com síndromes gripais, devido pandemia do novo coronavírus, e, por isso, não estarão realizando as vacinações.

Até o dia 30 deste mês, os usuários terão acesso às três campanhas. No caso da multivacinação, é voltada para crianças e adolescentes até 15 anos, com foco na atualização dos calendários vacinais, caso estejam em atraso com
alguma vacina. Já para as crianças de um ano a menor de cinco anos, a imunização tem como objetivo protegê-las contra a causadora da paralisia infantil. A terceira campanha é contra o sarampo e para as pessoas de 20 a 49 anos.

“É graças ao Programa Nacional de Imunizações, durante todos esses anos, que muitas doenças estão controladas. Precisamos que os pais mantenham a situação vacinal dos seus filhos em dia, para que essas doenças não venham aparecer e se agravar, juntamente com a pandemia. Basta levar o cartão de vacinação ou a caderneta da criança, pois a equipe está preparada para avaliar quais vacinas serão feitas naquele momento”, destaca a coordenadora do Programa de Imunização da SMS, Ilziney Simões.

Para Joseane Maria dos Santos, moradora do bairro Santos Dumont, a ida à UBS João de Oliveira Sobral teve como objetivo não só a proteção de seu filho, Ítalo Daniel, de 10 anos, mas também a sua, já que ela também foi imunizada. “Era para ele ter tomado uma vacina a alguns meses atrás. Mas, devido à pandemia, eu não pude trazer. Acho que é fundamental para a saúde dele regularizar a situação. Isso é muito importante para a criança”, avalia.

Quem também esteve nesta unidade básica foi a dona de casa Adriana Bispo, com sua filha Ana Alice, de 4 anos. Para ela, é de fundamental importância vacinar as crianças para que elas permaneçam saudáveis. “Eu vim logo para confirmar também se a minha caderneta de vacinação está em dia. Eu já falei para os meus vizinhos trazerem seus filhos, porque têm muitas crianças que os pais não vacinam”, relata a dona de casa, ao contar que está sempre incentivando seus vizinhos a participarem das campanhas de vacinação.

A usuária da UBS Max de Carvalho, Juliana Figueiredo, de 32 anos, conta que assim que soube do início das campanhas se programou para ir se imunizar. “Não é a questão só da minha saúde, mas de colaborar também com a saúde dos outros porque estamos vivendo uma pandemia e temos o dever de ajudar para que outros surtos não aconteçam”, reforçou Juliana Figueiredo, ao destacar a importância da imunização.

Todos os públicos previstos nessas três campanhas precisam apresentar o cartão ou a caderneta da criança/adolescente, para que a equipe faça a  avaliação e realize a vacinação conforme as orientações do Ministério da Saúde. As salas de vacinação estão funcionando de forma rotineira, das 8h às 16h30, e o recomendado é que a população não deixe para ir perto do horário de encerramento.

Fonte: SECOM/PMA

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais