Casa segura: confira dicas para adaptar casa e evitar queda de idoso

0
Acidentes domésticos com idosos são mais comuns do que se imagina e o risco de um queda ser fatal é muito grande. Para quem convive com as pessoas da terceira idade cada cômodo da casa pode representar um risco iminente de acidente (Foto: Pixabay)

Acidentes domésticos com idosos são mais comuns do que se imagina e o risco de uma queda é maior. Para quem convive com as pessoas da terceira idade, cada cômodo da casa pode representar um risco iminente de acidente. Mas como evitá-los? Quais precauções tomar? O Portal Infonet ouviu uma terapeuta que orientou sobre como adaptar alguns cômodos e de que forma proceder para preservar o bem-estar do idoso.

A fisioterapeuta Patrícia Fontes defende o conceito de “casa segura”, ou seja, uma ambientação adequada e confortável às necessidades do idoso. “Com a chegada da idade, o vigor, a flexibilidade, as alterações de pressão, enfim, tudo vai ficando mais limitado e favorece que o idoso caia”, relata. Assim, a adequação do ambiente doméstico consiste em preparar o ambiente para acolher o idoso.

Segundo a profissional, 80% das quedas são no ambiente doméstico; e dentro de casa, quarto e banheiro são os locais mais “perigosos”. Por isso a fisioterapeuta ressalta que as melhorias nestes dois cômodos precisam ter uma atenção especial. Patrícia explica que as adaptações são simples e não possuem um grande custo para serem realizadas.

Dicas para melhorar a ambientação doméstica

A fisioterapeuta orienta alterar a altura do vaso sanitário e anexar uma barra de apoio, principalmente para os idosos que têm artrose, além colocar barras de segurança dentro do chuveiro e piso antiderrapante. “É comum alguns idosos escorregarem no piso molhado ou ainda não conseguirem se segurar diante de um desequilíbrio no banheiro. Por isso que modificações como essas podem inibir incidentes”, relata.

A altura do vaso sanitário pode contribuir para evitar queda (Foto: Patrícia Fontes)

Já no quarto, Patrícia sugere que o criado mudo ou mesa de cabeceira tem que está fixa na parede, pois caso o idoso escorregue pode ter um apoio de sustentação. Ainda de acordo com ela, a altura da cama também é importante. “O ideal é que o idoso se sente e consiga tocar os pés no chão. A depender do caso, também é aconselhável o uso de protetores de cama para evitar que o idoso caia da cama”, salienta.

Um outro cuidado que ele destaca é manter o caminho entre o quarto e o banheiro iluminado, para facilitar a locomoção durante à noite. “Se o idoso é hipertenso e faz uso de diuréticos certamente ele vai mais vezes à noite ao banheiro  em virtude da medicação”, explica. Ainda de acordo ela, esse trajeto entre o quarto e o banheiro é responsável por muitos acidentes. “A gente acredita que conhece nossa casa como a palma da mão, mas no escuro normalmente ficamos desnorteados em relação à acomodação dos móveis”, alerta. Para isso é importante, segundo a profissional, a iluminação entre esses dois cômodos.

Barras de apoio (Foto: Patrícia Fontes)

Patrícia também incentiva a colocação de armários em alturas acessíveis, capachos e tapetes presos, colados ou embutidos, espaço livre para circulação junto a porta, além da parte externa bem iluminada, para facilitar a visão do interior para fora.

Por João Paulo Schneider e Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais