Casos de óbitos por Aids caem 7,1% em Sergipe

0
Casos de óbitos também reduziram em âmbito nacional (Foto: Pixabay)

O estado de Sergipe apresentou uma redução de 7,1% nos casos de óbitos por Aids entre os anos de 2014 a 2017, passando de 4,2 para 3,9 óbitos por 100 mil habitantes. Os números foram divulgados no novo Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, do Ministério da Saúde, lançado nessa última terça-feira, 27.

De acordo com o médico Almir Santana, gerente do programa estadual IST/Aids, a redução dos óbitos em Sergipe tem vários motivos, sendo o principal deles a redução do tempo entre o diagnóstico e o tratamento. “O que mais compromete a vida de quem tem o HIV é o tratamento tardio”, explica.

Ações preventivas estão sendo realizadas, diz Almir Santana(Foto: Arquivo Portal Infonet)

A prevenção, segundo ele, também tem sido um dos principais responsáveis pelos resultados positivos. Na rede pública, por exemplo, são disponibilizados insumos de prevenção, que inclui preservativos masculino e feminino, gel lubrificante e guias educativos. Além disso, ações educativas ocorrem em escolas e em empresas, neste último caso, com o objetivo de atingir o público masculino, maior afetado pelo HIV (70%). “Também temos os testes rápidos que chegaram a atenção básica, e em cada município temos pelo menos um local para fazer esse teste”, afirma.

Atualmente o estado possui 4872 pessoas com Aids, sendo que destas, 117 são crianças. Já em relação a pessoas com HIV, o número chega a 1987, conforme Almir Santana.

Brasil

Além de Sergipe, outros 20 estados apresentam redução na taxa de mortalidade: AM, RR, PA, AP, TO, MA, PB, PE, AL, BA, MG, ES, RJ, SP, PR, SC, RS, MT e o DF. Cinco estados apresentam aumento: Rondônia, Acre, Ceará, Rio Grande do Norte e Mato Grosso do Sul. Os estados do Piauí e Goiás mantiveram a mesma taxa de mortalidade entre 2014 e 2017.

No país, em quatro anos, a taxa de mortalidade pela doença passou de 5,7 por 100 mil habitantes, em 2014, para 4,8 óbitos em 2017. Os novos números da epidemia revelam que, de 1980 a junho de 2018, foram identificados 926.742 casos de aids no Brasil, um registro anual de 40 mil novos casos. Em 2012, a taxa de detecção de aids era de 21,7 casos por cada 100 mil habitantes e, em 2017, foram 18,3, queda de 15,7%. Na comparação com 2014, a redução é de 12%, saiu de 20,8 para 18,3 casos por 100 mil habitantes.

por Yago de Andrade
com informações da Agência Brasil e Ministério da Saúde

Comentários