Com alta demanda, vacinas contra gripe começam a faltar em postos

0
71% da meta de idosos já foi alcançada em Aracaju (Foto: ASN)

Em cinco dias de campanha de vacinação contra a Influenza (gripe), algumas unidades de saúde de Aracaju já não têm mais doses disponíveis para a população e aguardam reabastecimento do Município. O início da campanha, que nesta primeira fase é voltada para idosos e profissionais da saúde, foi marcada por um grande fluxo de pessoas nas unidades, em razão também do coronavírus. A Saúde ressalta, no entanto, que a vacina em questão é para proteção contra a gripe comum.

Se por um lado a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vê as doses se esgotarem rápido e corre para reabastecer, por outro, comemora os números alcançados nestes primeiros dias.”Foram 46 mil pessoas vacinadas, entre elas, 38.213 idosos, o equivalente a 71,55% da nossa meta para esse público”, afirma Taise Cavalcante, diretora de Vigilância e Atenção a Saúde de Aracaju. A meta é vacinar 53 mil idosos até o dia 15 de abril.

Taise explica que o abastecimento das unidades tem ocorrido conforme as doses chegam do Ministério da Saúde. “Já recebemos 52 mil doses, somadas, e deve chegar mais na próxima semana. O idoso que não encontrar dose naquela unidade do seu bairro, nós pedimos que retorne para casa e aguarde alguns dias, que as doses vão chegar. Eles podem até acompanhar o abastecimento por telefone, através do 156”, explica a profissional.

As próximas fases da campanha, após 15 de abril, incluirão pessoas com doenças crônicas, professores, profissionais das forças armadas e, na última fase, as crianças. Para garantir a sua dose, as pessoas devem levar o cartão de vacinação ou um documento oficial com foto às unidades de saúde.

Vacinas para crianças suspensas

Até o dia 15 de abril, quando se encerra essa primeira fase de vacinação focada nos idosos, as vacinas de rotina de crianças estão suspensas, conforme recomendação por nota técnica do Ministério da Saúde. “Nós queremos evitar o contato de crianças e idosos nessas unidades, por causa do coronavírus. Sabemos que crianças podem ser assintomáticas e se tiverem infectadas, podem transmitir para idosos, que é o público que a gente mais quer proteger desse vírus”, justifica Taise.

Por Ícaro Novaes

Comentários