Como lidar com a invasão de insetos em casa no período chuvoso

0
Insetos se dividem entre inofensivos e mais perigosos (Foto: Cassia Santana/Portal Infonet)

Quaresma. Chuvas. Instabilidade do clima. Esses são alguns dos motivos para que tantos insetos invadam as residências na região urbana durante esta época do ano. Enquanto alguns dos insetos são inofensivos, outros podem representar risco para a população, por isso adotar medidas para evitá-los é importante nesse período.

As moscas normalmente são visitas comuns nas residências. Com hábitos diurnos, elas buscam restos de alimentos, fezes e animais mortos em qualquer parte da casa. De acordo com o supervisor de endemias do Centro de Zoonoses de Aracaju, José Bonfim, as moscas podem carregar bactérias. “Elas não são desenvolvedoras de doenças, mas podem carregar consigo. O ideal é manter a casa limpa, sem lixos, porque aí você tira o interesse da mosca no ambiente”, explica Bonfim.

O período de chuva também favorece a incidência de outros insetos voadores. É comum, durante esta época, insetos se acumularem nas redondezas de uma fonte de luz. Bonfim os caracteriza como inofensivos, mas dentro de casa eles trazem dor de cabeça pela sujeira que deixam, como asas no chão. O melhor método de prevenção, nesses casos, seria telas nas portas e janelas para impedir a entrada dos insetos. A medida também impede a entrada de muriçocas, bastante comuns nesses períodos.

Os mais perigosos

Saindo do quadro de insetos de caráter mais inofensivo, Bonfim explica que o alerta principal deve estar no mosquito Aedes Aegypti, transmissor de 4 tipos de dengue, zika, chikungunya e febre amarela; e no Phlebotomus (mosquito-palha), transmissor da leishmaniose.

O Aedes Aegypti também tem hábito diurno, segundo Bonfim. Em épocas de chuvas, os locais de desova da fêmea se multiplicam, o que aumenta o risco de transmissão das doenças. “O que a gente sempre pede é para manter os reservatórios de água sempre bem fechados, e eliminar qualquer tipo de entulho ou material que permita o acúmulo de água. Entre novembro e abril, o registro de casos de dengue e as outras doenças cresce. É um período de muita atenção”, frisa o profissional.

Além de eliminar os locais de risco, Bonfim diz que as pessoas podem fechar as janelas e portas de casa entre às 17h e 19h como forma de prevenir o mosquito. “O mosquito aedes se recolhe a noite, diferente da muriçoca. Entre esse horário, ele está fazendo seus últimos voos. É o pico de movimento vetorial. Sei que estamos enfrentando forte calor, mas fechar as entradas da residência nessa hora pode aumentar sua proteção”, pontuou.

Já para combater o mosquito-palha, transmissor da leishmaniose (calazar), a melhor maneira é mantendo os quintais de casa limpos. “É um mosquito silvestre, mas que começou a aparecer nas regiõss urbanas há algum tempo. Costuma se reproduzir ali em folhagens, lixos e matos no quintal. Manter a limpeza nesses locais afasta a possibilidade de tê-los por ali”, concluiu Bonfim.

Por Ícaro Novaes

Comentários