Conheça os diferentes estilos de natação

0
A natação oferece benefícios para o corpo e também para a mente (Foto: ShutterStock)

Manter a boa saúde requer trabalho e disciplina. Não se trata apenas de não se preocupar com nada ou se afastar dos problemas. Para atingir o bem-estar físico e mental é preciso comer alimentos saudáveis, beber 2 litros de água por dia e fazer exercício pelo menos duas ou três vezes por semana.

A natação é uma das melhores atividades físicas, pois oferece numerosos benefícios para o corpo e também para a mente, já que é um esporte que além de colocar todos os músculos em movimento, ajuda a diminuir o estresse.

E o melhor é que para nadar não é preciso conferir o prognóstico do tempo, pois é possível praticar natação em piscinas cobertas, incluso quando chove ou faz frio.

Além disso, o nado pode ser realizado por pessoas de qualquer idade, já que é um esporte sem impacto que proporciona grandes vantagens terapêuticas, inclusive para aquelas pessoas que possuem limitações físicas ou motoras.

Cada nadador pode adaptar a disciplina às suas capacidades, executando o estilo de nado que melhor se adapta à sua condição física. Estes estilos se diferenciam pelo movimento de braços e pernas que implicam. Vamos conhecê-los.

Você fez seu prognóstico sobre quais atividades esportivas são as preferidas dos habitantes locais? Você pode se surpreender com alguns exemplos. Vamos conhecê-los.

Os 4 estilos de nado

Na natação existem 4 estilos bem diferenciados. Alguns são mais complexos que outros, mas todos aportam benefícios para a saúde.

Nado livre (crawl) – Este estilo é o mais conhecido e também o primeiro que aprende quem inicia aulas de natação. É uma forma de nadar que busca diminuir a resistência da água e aumentar a velocidade do nadador.

No crawl é preciso que o nadador se coloque com o peito voltado ao fundo da piscina e mantenha os pernas semi-esticadas, alternado o movimento de uma e outra como se estivesse dando chutes.

Paralelamente, deve mover os braços de forma alternada, para que puxem agua intermitentemente.
Quando um dos braços estiver fora da água, o nadador pode respirar virando a cabeça para o lado dessa extremidade superior.

Nado de costas – Ao contrário do que acontece com o crawl, no nado de costas a pessoa permanece com as costas voltadas para o fundo da piscina e com a cabeça fora da água.

Para avançar, os braços fazem movimentos rotatórios alternados, passando junto à orelha, um depois do outro. Paralelamente, as pernas dão pequenos chutes.

No nado de costas a respiração não é um inconveniente, pois a cabeça nunca fica submergida. Por este motivo é um dos primeiros estilos aprendidos pelos iniciantes.

Nado de peito – Este estilo é o mais antigo e também o mais técnico de todos. Ele requer muita coordenação e prática por parte de quem o executa. Para nadar de peito o nadador tem que movimentar as pernas e os braços de forma sincronizada.

As pernas se estendem e deixam o corpo em posição horizontal enquanto os braços puxam a água da frente para trás. Esta movimentação provoca que o peito do nadador se jogue para frente e que sua cabeça fique fora da água para poder respirar.

Nado borboleta – Se até aqui você achava fáceis todas as formas de nado, talvez com o estilo borboleta sua opinião mude. Esta forma de nadar é mais complexa, devido a que exige força e flexibilidade para empurrar a água e vencer sua resistência.

No nado borboleta o peito fica voltado para o fundo da piscina e o nadador deve fazer ondulações com o corpo. Para realizar a braçada, tem que puxar a água com os dois braços ao mesmo tempo, jogando-os para trás e esticando-os para a frente. A respiração se faz quando a cabeça emerge, a cada duas ou três braçadas.

Fonte: Javier Roca

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais