Covid-19: testes em escolas apontam contaminação maior em professores

0
Sete municípios ainda não foram abordados pelo inquérito sorológico realizado pela UFS com apoio da SES (Foto: ASN)

De 28 municípios sergipanos que já tiveram as testagens para o Covid-19 realizadas nas escolas da rede pública de ensino, oito se encontram na faixa vermelha de índice de contaminação. Neste cenário, os professores – entre aqueles que compõem a comunidade escolar – são os mais atingidos pela doença. Os dados foram divulgados na coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 14, pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) junto com a Universidade Federal de Sergipe para apresentar o inquérito sorológico realizado nas escolas. Mais sete municípios ainda serão testados até o dia 21 deste mês.

O inquérito sorológico aponta quantas pessoas em cada município já tiveram contato com o novo coronavírus. Segundo o professor da UFS, Lysandro Borges, para a realização do inquérito, a equipe responsável dividiu a comunidade escolar que é testada para Covid-19 em quatro grupos: professores, gestão e direção, demais funcionários, a exemplos dos vigias e profissionais de limpeza e, por fim, os alunos.

Índice de contaminação dentro da comunidade escolar

De acordo com o professor Lysandro, destes quatro grupos, são os professores que apresentam o maior índice de contaminação, depois são os gestores e direção, demais funcionários e, em último lugar no índice, os estudantes. “Do contrário do que a gente imaginava, os estudantes são os menos contaminados entre os grupos. Um motivo pelo qual esse resultado pode ser justificado é a permanência da classe estudantil em casa, enquanto os integrantes dos outros grupos, os professores, gestão e direção e demais funcionários, precisam resolver coisas na rua, como por exemplo, fazer compras. Eles acabam se expondo mais”, explica.

Na coletiva, também foram apresentadas alternativas de retomada às aulas de forma segura, como a atenção ao distanciamento social e uso das máscaras de proteção, além de uma criação de protocolo de abertura por município, já que cada um, segundo o professor Lysandro, possui a sua peculiaridade e logística. A observação da diminuição do uso de máscaras e aumento de casos em municípios pequenos foram pontos considerados importantes para a reversão da situação e tomada de medidas de segurança.

Índice de contaminação por municípios

Ainda de acordo com Lysandro Borges, para um melhor esclarecimento dos dados e entendimento da população, as situações de cada município sergipano em relação à contaminação do vírus foi apresentada através de cores de semáforo. Para os municípios que estão com baixa contaminação, foi usada a cor verde. Com média contaminação e uma tomada de atenção para não piorar, foi usada a cor amarela; e com uma alta contaminação, a cor vermelha.

Municípios que possuem escolas de rede pública na cor verde: São Cristóvão e Laranjeiras

Municípios que possuem escolas de rede pública na cor amarela: Umbaúba, Estância, Aracaju e Itabaianinha

Municípios que possuem escolas de rede pública na cor vermelha: Campo do Brito, Tobias Barreto, Itabaiana, Lagarto, Simão Dias, Capela, Ribeirópolis e Japaratuba.

Sete municípios ainda não foram abordados pelo inquérito sorológico.

O professor afirmou que as testagens foram realizadas no primeiro dia de aula e ainda pontua que, com as alternativas de retomada, o prejuízo educacional, principalmente para os alunos que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), possa ser sanado.

Por Isabella Vieira e Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais