CRM denuncia dificuldades de médicos em realizar contratos com a PMA

0
Coletiva ocorreu nesta quinta-feira, dia 25 (Foto: Reprodução vídeo CRM)

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Sergipe (CRM/SE) denuncia que médicos estão tendo dificuldades em realizar contratos com a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) para atuarem no Hospital de Campanha da capital.

Em coletiva realizada nesta quinta-feira, 25, o presidente do CRM, Jilvan Pinto, contestou a informação de que não existem médicos para serem contratados para trabalharem no hospital e denuncia que alguns médicos entraram em contato com o Conselho para informar que não conseguiram efetuar a contratação.

Segundo dados do CRM/SE, tem ocorrido um incremento significativo no número de Inscrições de Primeiro Registro por médicos recém-formados. De 02 de janeiro a 15 de junho deste ano, foram inscritos no Conselho 315 médicos e atualmente o CRM possui 4.645 médicos ativos e aptos ao exercício da medicina.

“Somente de janeiro a junho tivemos 315 inscrições de médicos e temos mais de 4 mil médicos ativos no Conselho que estão aptos a trabalhar no Hospital de Campanha, o que causa estranheza o fato de não ter médico para trabalhar na prefeitura. Temos protocolos de médicos que deram entrada na prefeitura no dia 1 de junho e até hoje não tiveram resposta da sua contratação”, informa.

Revalida

Sobre a decisão liminar que autoriza a Prefeitura de Aracaju a contratar médicos formados por instituições de ensino estrangeiras, mas ainda sem realizar o exame de Revalida, Jilvan Pinto destaca que essa decisão pode ser prejudicial a população.

“Chamamos atenção porque o hospital de campanha não é local para pacientes leves, os pacientes estão se agravando, pacientes com quadro clínico muito grave, precisam de UTI e enquanto não são transferidos, tem que ser tratado no hospital como paciente de UTI. Ou seja, como vai colocar neste local para trabalhar pessoas que não fizeram a prova para saber se estão aptos para tratar desses pacientes e porque esses médicos estão sendo teoricamente contratados para atender só pacientes de SUS no Hospital de Campanha?”, questiona Jilvan.

PMA

A Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju esclarece que, atualmente, o Hospital de Campanha dispõe de 65 médicos, distribuídos para atender 42 pacientes internados. Com capacidade para 152 leitos, o Hcamp tem atualmente em funcionamento 60. A previsão é ampliar a escala em mais de 5 mil horas de médico.

O momento atual de pandemia gerou uma demanda excessiva por profissionais de saúde. Em Sergipe, além da demanda municipal, existem as da rede estadual e da rede particular, o que tornou necessário a antecipação de formaturas de estudantes de medicina e embasou a decisão do Ministério Público Federal, que autoriza contratação de médicos sem Revalida, orientando a emissão de documentação provisória pelo Conselho Regional de Medicina. Na gestão municipal, além das equipes rotineiras, foi preciso contratar médicos para os equipamentos novos, os quais atendem casos da Covid-19.

A gestão municipal reitera que vem realizando esforços para ampliar a assistência à pacientes com a Covid-19, a exemplo da construção de Hospital de Campanha e do reordenamento das Unidades de Saúde da Família para implantação de oito unidades exclusivas para atendimento de síndrome gripal. Sobre a contratação de médicos para o Hospital de Campanha, a Prefeitura Municipal cumpre determinação judicial decorrente da ação conjunta do Ministério Público Federal (MPF), do Ministério Público do Trabalho (MPT) e do Ministério Público do Estado de Sergipe (MP/SE).

por Aisla Vasconcelos

 

A matéria foi alterada às 18h26 para atualização de informações enviadas pela PMA. 
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais