CRM encerra interdição ética no setor pediátrico do Fernando Franco

0
CRM encerra interdição ética no setor pediátrico do Fernando Franco (Foto: Portal Infonet)

Com a regularização das escalas médicas do setor pediátrico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Fernando Franco, localizado no conjunto Augusto Franco, na zona sul da capital, o Conselho Regional de Medicina (CRM) promoveu a desinterdição ética da ala no fim da manhã desta segunda-feira, 4.

Agora, o serviço está disponível para a população. A avaliação do Conselho aconteceu nesta manhã, e o documento foi assinado pelo presidente Jilvan Pinto Monteiro.

(Imagem: SMS)

O acordo para fechamento das escalas foi intermediado pelo Ministério Público Estadual (MPE). Na semana passada, houve reunião com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), CRM, Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed) e profissionais da pediatria. O promotor da 9ª Promotoria dos Direitos do Cidadão (especializada em direitos da saúde), Manoel Cabral Machado Neto, afirmou que ficou pactuada a união para devolver os serviços à população. “Importante também é que desde a audiência judicial observamos o compromisso dos órgãos envolvidos de superar o impasse e retomar os atendimentos que a sociedade tanto precisa, em especial as crianças, que nesta época sofrem com viroses e doenças respiratórias”, considerou.

A unidade Fernando Franco foi interditada nos primeiros dias do ano. O setor de clínica médica já estava desinterditado e agora também a pediatria. Na unidade, foi aberto uma ala ortopédica, ampliando a oferta para a população.

A Secretaria de Saúde do município esclareceu que, para a UPA funcionar em sua totalidade, falta apenas a reabertura do setor cirúrgico, responsável por procedimentos de pequena complexidade como suturas e aplicação de pontos. A pasta informou que a dificuldade para retomar a ala se dá pela falta de médicos, e disse esperar que novos profissionais façam cadastramento via Pessoa Jurídica (PJ) para substituir os que trabalhavam no Regime de Pagamento Autônomo (RPA). O órgão revelou, ainda, que negocia com empresas para disponibilizar novamente os serviços.

Por Victor Siqueira

Comentários