Especialista orienta sobre higienização de roupas e calçados

0
Roupas devem ser lavadas separadamente com água e sabão (Foto: Pixabay)

Especialistas estão a todo tempo falando dos cuidados que a população deve adotar no combate ao COVID-19. Lavar as mãos, limpar objetos e superfícies de contato e adotar cuidados ao chegar em casa são fundamentais para evitar a contaminação.

As roupas e calçados das pessoas que chegam da rua devem ser retirados e higienizados de imediato. Os especialistas não sabem quanto tempo o vírus COVID-19 sobrevive em tecidos, por isso, é fundamental ter cuidado com tudo que chega da rua.

A enfermeira e coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente e do Controle de Infecção Hospitalar da Secretária de Estado da Saúde (SES), Nirley Marques de Castro, explica que as roupas e os calçados devem ser lavados com água e sabão.

“ O ideal é tirar o sapato e levar para uma área específica de higienização e limpar esse calçado com água e sabão. As roupas devem ser retiradas e lavadas também com água e sabão, sem misturar com outras peças , porque essa roupa que veio da rua pode estar contaminada”, orienta.

Lavar as mãos é a melhor forma de prevenção contra o COVID-19 (Foto: Pixabay)

Nirley lembra que a higienização das mãos não deve ser esquecida e as superfícies de contato devem ser higienizadas. “ Essa pessoas que chegou de rua e tiver com o álcool em gel já pode fazer o uso para higienizar as mãos antes de pegar nas maçanetas das portas, local que todos têm acesso. Se não tiver o álcool em gel, depois que entrou em casa, higieniza a maçaneta e todos os locais que essa pessoa teve contato com água e sabão. E lavem as mãos”, reforça.

Preocupação

A especialista alerta a população para o uso indiscriminado de luvas e máscaras. Nirley lembra que o uso desses equipamentos por pessoas que não precisam, podem aumentar o risco de contaminação.

“Muita gente acredita que usando luva está protegida e isso não é verdade. A pessoa com a luva acaba pegando em tudo, levando essa mão com luva ao rosto, e isso provoca a contaminação. As luvas não são laváveis, elas são descartáveis, e não devem ser utilizadas pela população em  geral. As mãos sim, podem e devem ser lavadas várias vezes”, adverte.

Outra preocupação da coordenadora é o uso indiscriminado de máscaras por pessoas sem sintomas de infecções respiratórias. “ Só quem deve usar as máscaras são pessoas que estão tossindo ou espirrando para evitar que os vírus se propagem, mas quem não tem sintomas não deve utilizar, porque essa pessoa não vai conseguir ficar muito tempo com essa máscara, vai ficar ajeitando, baixando até o queixo e basta topar na máscara para que ela já esteja contaminada”, explica.

Para as pessoas que estão com os sintomas de infecções respiratórias e estão fazendo uso de máscaras, é importante usá-las corretamente e fazer o descarte no local indicado. “Cada fabricante diz o tempo de eficácia dessa máscara, caso isso não esteja na embalagem, a pessoa deve descartar essa máscara quando ela estiver molhada, seja de suor ou secreção, ou mesmo quando for contaminada, por exemplo, o próprio paciente tocar nessa máscara ou outra pessoa próxima tossir ou espirrar. Nesse caso é preciso trocar de máscara, descartar no lixo, e de forma alguma não colocar em cima de superfícies porque estará contaminando o local, e sempre lavar as mãos”, ressalta.

Por Karla Pinheiro

Comentários