Estado não encontra hospital em Sergipe para as cirurgias cardíacas

0
Cirurgia cardíacas: problemas que se arrastam (Foto: Pixabay)

A interrupção das cirurgias cardíacas pautou o discurso da conselheira Susana Azevedo na sessão plenária do Tribunal de Contas do Estado, realizada nesta quinta-feira, 9. A conselheira se manifestou cobrando providências imediatas do Governo do Estado para encontrar alternativas e retomar a realização destes procedimentos em Sergipe pela rede pública. Para a conselheira, se o Hospital de Cirurgia não tem condições de ofertar o serviço, o Governo do Estado tem obrigação de buscar uma solução efetiva.

“A situação é de colapso e vexame”, conceituou a conselheira. “Se o Hospital de Cirurgia não tem condições [de ofertar o serviço], o Estado tem obrigação de encontrar outro hospital”, destacou Susana Azevedo. Mas a assessoria de imprensa garante que a Secretaria de Estado da Saúde já tentou substituir o Hospital de Cirurgia, mas não encontrou, na iniciativa privada, entes dispostos a formalizar contrato com o Estado para realizar os procedimentos cirúrgicos.

De acordo com a conselheira, há cerca de 300 pacientes aguardando na fila para fazer os procedimentos cirúrgicos. “Qual o critério para escolher o paciente que vai fazer a cirurgia? Não podemos admitir isso. Os pacientes não podem ficar esperando o dia que o Estado quer operá-los”, desabafou.

Sem definição

Ainda não existe data definida para o Hospital de Cirurgia retomar este tipo de serviço. A assessoria de imprensa do hospital não especifica, mas assegura que há “ajustes cruciais” para serem realizados para garantir o retorno das cirurgias cardíacas e, mais uma vez, prometeu solução para os próximos 15 dias. Estes problemas, segundo a assessoria do hospital, estão sendo solucionados com a parceria da Secretaria de Estado da Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde confirma estes entendimentos e, da mesma forma, não oferece detalhes sobre as questões classificadas como cruciais pelo Hospital de Cirurgia que impedem o retorno destas cirurgias. A assessoria da Secretaria de Estado da Saúde informou que várias reuniões entre representantes do hospital e do governo já foram realizadas e que, a cada momento, novos problemas surgem no Hospital de Cirurgia.

A Secretaria, conforme a assessoria, já apresentou um plano de reformulação para o Hospital de Cirurgia e admite que o Estado possui débitos acumulados há cerca de dois anos com a instituição, mas não especificou o montante. Quanto a mudanças no contrato, a assessoria informou que a Secretaria de Estado da Saúde já tentou retirar do Cirurgia esta atribuição, mas não encontrou em Sergipe hospitais que se dispusessem a fazer contrato com o Estado.

Por Cassia Santana  

Comentários