Excessos durante o verão podem causar problemas circulatórios

0
O médico ainda explica que sempre que se fica muito tempo parado, na mesma posição, pode-se ter trombose venosa profunda, que é um problema sério e que precisa ter tratamento diferenciado (Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil)

Vem chegando o verão e com ele um calor no coração, mas também nas pernas, nos braços e em todo o sistema circulatório. Mãos e pés inchados, pernas cansadas e pesadas, piora de varizes e o surgimento de problemas linfáticos são alguns sintomas físicos que merecem mais atenção no clima quente que terá início no dia 21 de dezembro, e se estende até 20 de março de 2021. De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), durante o verão, existe um aumento de 30% das doenças vasculares.

O corpo humano trabalha intensamente para combater as altas temperaturas. A circulação cutânea (na pele) é uma das principais responsáveis pela regulação da temperatura do organismo. Durante esse processo, ocorre a dilatação dos vasos sanguíneos da pele e, consequentemente, acarreta a piora de sintomas em pessoas com varizes e doenças linfáticas.

As mulheres são as que mais sofrem com problemas vasculares no verão, explica o cirurgião vascular e presidente da SBACV- Regional Rio Grande do Norte, Gutenberg do Amaral Gurgel. “Nas mulheres, os hormônios femininos podem acarretar maior exacerbação dos sintomas das doenças vasculares. Uma das maiores queixas nessa estação é o inchaço nas pernas. O calor causa a dilatação dos vasos sanguíneos, e faz com que o fluído escape e se acumule no tecido extravascular, isso é chamado de edema. Edema é apenas outra palavra para inchaço”, explica.

Dentre os fatores que mais causam complicações vasculares no verão estão a desidratação e a preexistência de doenças associadas à obesidade e ao sobrepeso, como o diabetes e a hipertensão.

Prevenção

Alguns hábitos do verão podem ser perigosos para o sistema circulatório, destaca o médico e presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular, Bruno Naves. “Viagem, sol, cerveja, aperitivos gordurosos e salgados, além de calor e imobilização prolongada na mesa de um bar, ou na praia. A receita certa para o inchaço”, enfatiza o especialista.

O médico ainda explica que sempre que se fica muito tempo parado, na mesma posição, pode-se ter trombose venosa profunda, que é um problema sério e que precisa ter tratamento diferenciado. “Normalmente, o edema da trombose é um empastamento, endurecimento da musculatura da panturrilha que geralmente acontece de um lado só. E nestes casos não costuma regredir com a elevação dos membros”, finaliza.

Fonte: Agência Brasil 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais