Exercício físico de máscara: é possível reduzir o desconforto?

0

 

A utilização da máscara é obrigatória durante a execução de exercícios em academias e em outros ambientes de treino.

Após cinco meses fechadas devido à pandemia, as academias voltaram a funcionar no dia 28 de agosto e a partir da flexibilização de praias e reabertura de alguns lugares, as pessoas se sentiram mais à vontade para realizar atividades físicas ao ar livre. 

O recomendado pelas autoridades da saúde sempre foi o mesmo: utilizar a máscara como medida de proteção. Porém, o desconforto na hora de praticar os exercícios é uma queixa frequente de atletas e amadores.

Fazer exercício de máscara faz mal?

Karine Teixeira, fisioterapeuta. (Foto: Arquivo da fisioterapeuta Karine Teixeira)

A fisioterapeuta Karine Teixeira explica que as máscaras evitam o contágio do vírus que, durante os exercícios, podem se espalhar através de gotículas de saliva e suor e também do toque em superfícies de contato. “A disseminação do vírus pode ser evitada com o uso da máscara, tanto nas academias quanto em exercícios ao ar livre que são feitos em conjunto. O ideal é que todas as pessoas presentes usem a máscara para o efeito de proteção ser mais eficaz”, explica.

As atividades físicas mais pesadas e intensas, como levantamento de peso, corrida e pedalagem em longas distâncias, podem trazer desconforto na hora da respiração. A inalação de CO2 (gás carbônico), ar liberado na expiração, pode ser prejudicial à saúde. A orientação dada pela fisioterapeuta é de ter atenção na escolha do exercício. “O excesso de CO2 pode fazer mal à saúde, mas o ideal é não deixar de fazer atividade física. Se a máscara incomoda, é melhor buscar fazer o exercício ao ar livre e sem aglomeração”, orienta.

Uso da máscara na academia

Segundo a fisioterapeuta, o cuidado na academia precisa ser dobrado. “Sempre lavar as mãos e higienizar o aparelho antes e depois de utilizá-lo, trocar de máscara pelo menos três vezes, já que o suor depositado no tecido faz com que ela fique suja mais rápido. Caso o local não disponibilize máscaras descartáveis, é melhor levar uma ou duas máscaras extras para realizar a troca e sempre retirá-las do rosto pelo elástico, nunca tocando no pano”, pontua.

Uso da máscara ao ar livre

A utilização da máscara ao ar livre se torna questionável, visto que diferente das academias, os exercícios em ambientes abertos não exigem compartilhamento de aparelhos. A profissional da saúde chama a atenção sobre os cuidados que para ela são indispensáveis. “Se for o caso de uma aula de dança, pilates, caminhada ou até bicicleta, usar a máscara é necessário, mesmo que seja ao ar livre, ali vai existir uma aglomeração”, explica. “Caso seja alguma atividade que a pessoa faça sozinha, ou até com alguém que more junto, o uso pode ser dispensável, mas é necessário se atentar ao distanciamento em relação às outras pessoas e se o local é favorável para o não uso da proteção”, ressalta a fisioterapeuta.

Como reduzir o desconforto?

De acordo com a fisioterapeuta, o desconforto que a máscara causa durante os exercícios pode ser evitado. “Utilizar a máscara que fica mais confortável e pausar o exercício para se hidratar, podem ajudar no alívio do desconforto. No começo é normal que o nosso corpo crie uma resistência, mas, aos poucos, a máscara vai se tornando parte da rotina”, cita. “O importante é que todos usem máscara. Pensar no coletivo e respeitar o outro deve ser levado em consideração”, completa.

Por Isabella Vieira e Aisla Vasconcelos

Comentários