IPTI lança aplicativo que ajuda no combate a doenças epidemiológicas

0
O app é resultado de uma parceria entre a Bayer, IPTI e a Guarany e foi desenvolvido em colaboração com um grupo de adolescentes do município de Santa Luzia do Itanhy (Foto: divulgação)

Com o objetivo de construir uma tecnologia social para engajar as comunidades no monitoramento e combate a vetores causadores de doenças epidemiológicas, foi lançado este mês o aplicativo CLIC. O app é resultado de uma parceria entre a Bayer, o Instituto de Pesquisa em Tecnologia e Inovação (IPTI) e a Guarany e foi desenvolvido em colaboração com um grupo de adolescentes do município de Santa Luzia do Itanhy (SE). O IPTI é uma instituição sem fins lucrativos, que tem a parceria do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec).

A ferramenta (compatível com os sistemas Android e iOS) propõe que os usuários participem de interações on-line, com o registro de informações e fotos de pontos de risco, como objetos ou locais com água parada próximos à sua geolocalização, e com atitudes tomadas para erradicar eventuais focos.

“O objetivo inicial do projeto era no combate ao Aedes Aegypti, mas decidimos ampliar para outros vetores, como o barbeiro (Chagas), caramujo da esquistossomose e agora estamos incluindo o ser humano, por conta da Covid-19”, explica Saulo Barretto, responsável pela área de Relacionamento Institucional e Novos Negócios do IPTI.

Paralelamente, o app irá empregar modelos preditivos para ajudar no monitoramento da disseminação dos vetores, os quais a equipe está construindo e implantando em parceria com o grupo de pesquisa em Saúde e em Modelagem Computacional, da Universidade Federal de Juiz de Fora.

“Temos ainda muito para aperfeiçoar, tanto no app quanto nas estratégias de mobilização, porque o principal deste projeto não é disponibilizar mais um app para monitoramento de vetores, mas principalmente, uma solução de engajamento das comunidades, cada um fazendo sua parte, de maneira divertida e inspiradora”, ressalta Barretto.

Fonte: ASN

Comentários