Julho amarelo: saiba os sintomas e tratamentos das hepatites virais

0
O médico Almir Santana alerta ao aumento de números dos casos de hepatites (Foto: arquivo/ Portal Infonet)

Seguindo o calendário da saúde, o mês de julho leva a menção da cor amarela para conscientizar a população sobre a importância da prevenção das hepatites virais. Segundo o médico especialista em saúde pública Almir Santana, este mês é destinado à mobilização contra a falta de informação que gira em torno das hepatites e os ricos que a doença pode causar quando o tratamento adequado não é realizado.

“São cinco tipos de hepatite. Cada uma se comporta de uma maneira”, informa Almir. Ela explica que o fígado é o principal órgão atingido. “Essas hepatites provocam uma grande inflamação. Há inúmeras causas que ocasionam a doença, como vírus ou até mesmo o uso inconsciente de medicamentos”, detalha o médico.

Tipos de Hepatites

Almir explica que as hepatites A, B e C são as mais frequentes entre as pessoas. “Dentre essas, as hepatites B e C são as mais perigosas. Elas são transmitidas através do ato sexual sem preservativos, materiais de uso pessoal, como tesouras, escova de dente, alicates de unha, durante sessões de tatuagem, manicure ou depilação, etc”, alerta o especialista. Já a Hepatite A, o médico explica que ela é comumente transmitida por meio da água ou alimentos contaminados com coliformes fecais. “Geralmente este tipo de hepatite é susceptível nos lugares onde não há saneamento básico”, completa.

Números

Os dados atualizados sobre hepatites virais em Sergipe mostram que eles vêm aumentando ano a ano.

Hepatite B
2014 – 161 casos
2015 – 154 casos
2016 – 132 casos
2017 – 265 casos
2018 – 293 casos

Hepatite C
2014 – 51 casos
2015 – 87 casos
2016 – 85 casos
2017 – 92 casos
2018 – 110 casos

Sintomas

O médico diz que dentre as hepatites virais mais comuns apenas a Hepatite A apresenta sintomas específicos. “As hepatites B e C são silenciosas. Elas não apresentam sintomas logo de início. Na maioria dos casos, quando se descobre uma delas, o fígado já está bastante fragilizado”, esclarece. Quando as hepatites dão sintomas, os mais comuns são olhos e pele amarelos, febre, que é conhecido como icterícia, falta de apetite, fezes amareladas, além de quadros de náuseas e vômitos”, completa.

Almir alerta para a importância de exames rotineiros para prevenir o avanço da doença. “Os tipos mais perigosos de hepatite [ B e C] são os que não assintomáticos, ou seja, não apresentam sintomas. Por isso é importante se cuidar. Através de um exame de sangue específico é possível saber se a pessoa tem ou não algum tipo de hepatite”, relata. No entanto, o médico alerta que um hemograma convencional não informa se há ou não algum vírus de hepatite no organismo. “É necessário que a pessoa especifique que o exame de sangue será para detectar a doença. No Hospital Universitário é realizada a assistência e tratamento das pessoas com hepatites . Os exames estão disponíveis na rede pública de saúde (SUS). É o teste rápido.”, orienta o médico.

Importância do fígado 

O especialista considera o fígado como a maior glândula do corpo humano. “É um órgão polivalente. Ele possui funções importantíssimas, como a produção da bile, uma secreção que ajuda da digestão de gorduras”, explica. Ainda segundo ele, o fígado também contribui para a coagulação no sangue. “Quando o fígado está ruim, ele afeta o funcionamento de alguns órgãos, como os rins. Por isso é importante que todos tenham consciência e cuidem para que organismo possa funcionar com perfeito equilíbrio”, informa.

por João Paulo Schneider 

Comentários