Lavanderias hospitalares poderão lavar roupa doméstica

0

Roupas de unidades de saúde não devem ser misturadas às domésticas (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Depois das denúncias feitas no início de fevereiro de que uma lavanderia de Aracaju localizada no bairro Industrial estaria misturando peças de roupas domésticas com hospitalares, muitos dos que precisam do serviço ficaram em alerta. Apenas dois estabelecimentos em Aracaju têm licença para lavar itens de consultórios, clínicas e hospitais – e, de acordo com resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) publicada no Diário Oficial da União em 31 de janeiro, eles poderão realizar ambos os serviços com as novas regras estabelecidas.

Antes, porém, as lavanderias devem se adequar às requisições da ANVISA específicas para a mudança. “A gente não tem nenhuma autorizada a fazer esse serviço”, disse a coordenadora municipal da Vigilância Sanitária, Ana Angélica Ribeiro. De acordo com ela, a maioria das exigências passa pela total separação dos materiais comuns daqueles vindos de unidades de saúde.

Procedimentos

Isso não quer dizer que os procedimentos necessários para manter uma lavanderia de roupas apenas hospitalares sejam poucos. Segundo Ribeiro, é necessário que o estabelecimento possua duas áreas separadas, comunicadas apenas por uma lavadora de barreira. Dessa forma, as peças sujas nunca se comunicam com as limpas – nem mesmo os funcionários que trabalham em cada uma das salas podem ter acesso à outra.

Além disso, os trabalhadores da sala de triagem das roupas devem obedecer a todo um protocolo de segurança. Um banheiro de higienização é a porta de entrada e saída do local de realização do serviço – e onde os encarregados vestem e retiram os equipamentos necessários à manutenção de sua própria saúde, como luvas, botas, toucas e óculos. Na máquina de lavar, vão produtos especiais e certificados pela ANVISA para cuidar de materiais possivelmente contaminados e com manchas de sangue e secreções corporais.

Ana Angélica informou que, para receber roupas domésticas (e aí se incluem também as de hotéis e pousadas) as lavanderias especializadas em atender unidades de saúde devem trabalhar em ciclos, nunca misturando materiais das duas procedências. Elas já estão acostumadas a fazerem essa separação, porque já operam com ciclos de itens que precisam de lavagem pesada e os que podem ser tratados por um procedimento simples.

O veículo de transporte também é alvo da regulação. Eles devem ser diferentes – ou, no mínimo, lavados antes da mudança de ciclo. De qualquer maneira, é preciso que o veículo seja lavado pelo menos uma vez ao dia, em uma área destinada especificamente a essa higienização.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais