Maternidade promove I Seminário de Fisioterapia nesta quarta-feira

0
Evento ocorre dias 9 e 10 de outubro (Foto: SES)

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), unidade gerida pela Secretaria do Estado da Saúde (SES), em alusão ao Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional comemorado no próximo dia 13 de outubro, promove nos dias 09 e 10 de outubro, o I Seminário de Fisioterapia da MNSL.

A abertura acontece na quarta-feira, dia 09 de outubro com o tema: “CPAP Nasal Como Suporte Respiratório Prioritário no Prematuro”, no auditório da maternidade, às 11h, ministrada pelo fisioterapeuta Tárik Estefam e tem como público alvo a equipe multidisciplinar da unidade.

A programação segue até o dia 10 de outubro, às 14h, com as fisioterapeutas, Mariana Santana e Mirelle Brito com o tema: “A Amamentação sob a Visão do Fisioterapeuta”. A partir das 14h30, a programação segue com a palestra: “Utilização do Teste de Respiração Espontânia (TER) para Avaliar Extubação na UTIN”, com os fisioterapeutas Dayana Lobo e Radfan Naumann. Em seguida, a partir das 15h10 o tema abordado será: “Incidência de Broncodisplasia Pulmonar na MNSL”, com os palestrantes Graciele Bonfim e Sabrina Mesley e o último tema da tarde é com a Referência Técnica de Fisioterapia da MNSL, Ana Carla Motta Prado Bispo que abordará: “Cuidados, Manuseio e Posicionamento do RN de Risco: Novas Tendências”.

A MNSL é composta por 24 fisioterapeutas, que acompanham durante 24h todos os pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), junto à equipe multiprofissional composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, fonoaudiólogos, pediatras, assistente social, obstetras, psiquiatra, neonatologistas e nutricionistas.

A Referência Técnica de Fisioterapia da MNSL, Ana Carla Motta Prado Bispo, comentou que atuação do fisioterapeuta na maternidade está diretamente relacionada à diminuição da mortalidade e de eventuais sequelas decorrentes da internação e da precocidade de alta hospitalar. Ressaltou, ainda, que devido à prematuridade, a imaturação do sistema neurológico, circulatório, digestivo e respiratório dos bebês precisa de ajuda da fisioterapia. Disse que as possibilidades terapêuticas vão desde auxílio nas intercorrências, abordagem motora e respiratória, a orientação Método Canguru do auxílio na amamentação – principalmente nos posicionamentos dos bebês e das mães.

“São os fisioterapeutas que ajudam e favorecem o término da maturação dos bebês e se utilizam de manobras, técnicas e procedimentos que viabilizam essa abordagem de forma segura e eficaz. Na MNSL, esses profissionais ajudam os bebês prematuros e com peculiaridades bem diferentes dos que nascem de nove meses”, concluiu Ana Carla .

Fonte: SES

Comentários