Mês do gato: veterinária explica importância de cuidados com o felino

Candice Garcia, especialista em medicina felina (Foto: divulgação)

Fevereiro é o mês do gato. Isso porque anualmente, sempre no dia 17, é comemorado o Dia Mundial do Gato. A data foi instituída em 1931, na cidade de Florença, na Itália, durante o Congresso Internacional de Proteção Animal, que reuniu ecologistas pioneiros na defesa dos animais. A ideia se espalhou pelo mundo e mudou a vida de muitos felinos.

Os gatos estão cada vez mais presentes nos lares das pessoas. De acordo com dados do Censo PET (2022) do Instituto Pet Brasil, a população de gatos em lares domésticos no país subiu de 25,6 milhões (2020) para 27,1 milhões de indivíduos em 2021. Número que deve continuar mudando, já que as estimativas apontam provável crescimento médio anual de 2,5% entre os felinos.

A veterinária Candice Garcia, especialista em medicina felina e preventiva e diretora clínica da Toca dos Gatos, ressalta que o aumento da população felina se dá pelo crescimento do número de pessoas que moram em apartamentos, muitas vezes, sozinhas, aliado ao fato de que o gato é uma espécie fácil de cuidar. “O gato é uma espécie pouco trabalhosa para cuidar e, por isso, ele está cada vez mais comum nos lares. O gato se adapta muito bem a espaços pequenos e demanda cuidados considerados simples”, resume.

A especialista explica que os tutores devem criar ambientes adequados e seguros para os companheiros de quatro patas, que precisam de muito mais do que carinhos. Os cuidados são baseados em três pilares: segurança, alimentação e cuidados veterinários. “Se for apartamento, é necessário colocar a tela na janela e na varanda para fornecer um ambiente que não proporcione riscos de acidente. É importante também oferecer uma ração de qualidade, ter os cuidados veterinários e um ambiente limpo para as necessidades fisiológicas”, destaca a especialista.

Candice Garcia também destaca a importância da prevenção de doenças por meio de visitas regulares ao veterinário. “Levar o gato regularmente ao veterinário é trabalhar com a precaução para se resguardar de toda e qualquer doença que ele possa vir a desenvolver. Quanto mais cedo o diagnóstico, mais eficaz é o tratamento e maior é a chance de recuperação do felino”, avisa.

Adoção e benefícios

A veterinária reforça a importância da adoção responsável e consciente. “Acho que a adoção responsável, independentemente de ser gato, deve ter uma certa garantia. Muitas pessoas adotam um filhote porque é bonitinho, pequenininho e ocupa pouco espaço. Mas a partir do momento que cresce, perde a graça e quer descartar. Essa não é uma atitude correta e, por isso, orientamos que as pessoas pensem bem e sejam conscientes na hora de adotar”, alerta Garcia.

A adoção responsável também pode transformar a vida dos tutores. Isso porque a companhia dos felinos traz benefícios emocionais para o dia a dia de quem decide adotar. “Não só os felinos, mas outros animais também já são indicados psicólogos e psiquiatras para ajudar a lidar com alguns tipos de patologistas, como ansiedade, estresse e depressão, tanto em adulto, como em crianças”, afirma.

Sobre a Toca dos Gatos

Única clínica exclusiva para felinos em Sergipe, a Clínica Toca dos Gatos – fundada e capitaneada pela veterinária Candice Garcia – está localizada na Avenida Acrísio Cruz, n° 90, bairro Salgado Filho, em Aracaju. O horário de funcionamento é diferenciado: de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h, e aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 20h.

Além das consultas de rotina e de emergência, a clínica também oferta o serviço de internamento e possui laboratório próprio, sendo referência na medicina felina no estado. Informações estão disponíveis por meio dos telefones (79) 3211-2988 e (79) 98856 2863 (WhatsApp).

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais