MNSL acolheu seis vítimas de violência sexual no final de semana

0
O serviço funciona 24h, de domingo a domingo, prestando atendimento humanizado através de uma equipe multidisciplinar (Foto: SES)

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), unidade gerenciada pela Secretaria do Estado da Saúde (SES), pioneira no Estado em ofertar atendimentos especializados  a mães e bebês de alto risco, contabilizou de janeiro a julho, 10.231 atendimentos, sendo 7.274 internamentos e 8.220 pacientes que receberam altas  após avaliação ou foram liberadas para o pré-natal, é o que aponta o relatório gerencial da Unidade, nesta segunda-feira, 19.

Durante os dias 16, 17 e 18 de agosto, a instituição assegurou 121 atendimentos às usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), destes, 49 pacientes foram internadas, que resultaram em 36 partos, e 66 receberam altas.  No  final de semana dez pacientes foram transferidas para maternidades com perfil de risco de baixa complexidade. Além disso, foram realizados seis atendimentos no Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual. Informou a gerente de Admissão, Adhara Shuamme Bento Fraga.

Somente este ano, de janeiro a julho de 2019, foram contabilizados 621 atendimentos às vítimas de violência sexual, destes, 116 a menor de idade e 37 a maior de idade, e 468 consultas médicas de retorno. Entre os dias 16 a 18 de agosto foram realizados seis atendimentos às vítimas de violência sexual, sendo cinco a menor de idade e um a maior de idade. O telefone de contato para o Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual da MNSL é (79) 3225-8679.

De acordo com a coordenadora do Pronto Socorro da MNSL, Lourivânia Prado, o serviço funciona 24h, de domingo a domingo, prestando atendimento humanizado através de uma equipe multidisciplinar, composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, psiquiatras, auxiliares de enfermagem e assistentes sociais durante seis meses.

“É importante que a vítima procure atendimento nas primeiras 72 horas, porque até esse prazo conseguimos realizar todas as medidas preventivas para evitar doenças sexualmente transmissíveis ou gravidez indesejada. Para isso damos a pílula do dia seguinte, o coquetel retroviral do HIV e das hepatites”, alertou Lourivânia Prado.

Fonte: SES

Comentários