MNSL registra aumento no número de prematuros nascidos na unidade

0
Já no mesmo período de 2018, houve aumento no número com o registro de 4.158 bebês, destes, 815 foram prematuros (Foto: arquivo Portal Infonet)

De acordo com dados estatísticos gerados pela Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), de janeiro a setembro de 2017, nasceram 4.372 nativivos, destes, 784 prematuros. Já no mesmo período de 2018, houve aumento no número com o registro de 4.158 bebês, destes, 815 foram prematuros.

A MNSL é referência no tratamento humanizado, um exemplo disso é o Método Canguru, que tem eficiência comprovada no cuidado e tratamento de recém-nascidos prematuros. Com intuito de fazer esse alerta e de sensibilizar a população, o período de novembro é considerado o mês da prematuridade, também chamado Novembro Roxo.

Pensando nisso, a Rede Materna realizará a I Jornada Estadual da Prematuridade nos próximos dias 13 e 14 para discutir com profissionais de saúde e sociedade sobre os cuidados com os bebês prematuros e a importância do pré-natal adequado para a mãe.  A abertura oficial acontece dia 13, às 18h30, no Auditório B do Bloco G da Universidade Tiradentes (UNIT) com a Conferência intitulada “Diretrizes da Atenção Neonatal – Os Três Pilares do Cuidado”.

A Diretora Técnica da MNSL, Dra. Roseane Lima Santos Porto, explica por ser referência em gestação de alto risco, há elevados índices de prematuridade, que podem variar desde uma prematuridade tardia, entre 34 e 36 semanas, até a extrema, que envolve aqueles que nascem abaixo das 30 semanas.

Segundo ela, as causas da prematuridade são amplas, e podem envolver desde patologias maternas prévias adquiridas na gestação como infecções e doenças hipertensivas específicas da gravidez, além de fatores ligados ao feto como malformações fetais. Outro fator de risco para um parto prematuro comentado pela médica foi a gemelaridade com o aumento do número de casos de fertilizações.

Roseane observa que um dos fatores fundamentais para evitar a prematuridade é a realização de um adequado pré-natal, já que é possível identificar diversas patologias e já fazer o monitoramento preventivo. “Um bebê prematuro pode exigir cuidados em uma unidade de terapia intensiva neonatal por um período prolongado, em especial os prematuros extremos. A participação da família é muito importante, estreitando os vínculos afetivos e trazendo segurança ao cuidar”, disse Roseane.

Método Canguru da MNSL

O Método Canguru permite que os pais tenham uma maior participação nos cuidados neonatais. Os pais são acolhidos na Unidade Neonatal, recebem informações sobre as condições de saúde do seu filho, os cuidados dispensados, as rotinas, o funcionamento da unidade e a equipe que cuidará de seu filho. A eles é assegurado o livre acesso à Unidade e estimulados a interagir com o  bebê, e  quando estáveis clinicamente, podem ser colocados na posição canguru ainda nas unidades de risco (UTIN e UCINCO).A participação deles é muito importante. Devido a isso, são encorajados a participar de todas as atividades desenvolvidas na unidade. Os estímulos ambientais prejudiciais da unidade neonatal, como ruídos, iluminação e odores devem ser atenuados.

No Follow up, o bebê passará a ser acompanhado por uma equipe multiprofissional composta por médicos neonatologistas, oftalmologistas e neuropediatras, além de fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. Esses profissionais atuam no âmbito da Política de Humanização Perinatal – assistência materno-infantil, garantindo o devido acompanhamento de bebês prematuros de alto risco, que nasceram na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL).

Maiores informações sobre o funcionamento do BLH e do Follow Up, o usuário pode entrar em contato pelo (79) 3218 9424.

Fonte: SES

Comentários