MP vê deficiência na regulação de pacientes da Covid em T. Barreto

0
Pacientes no município têm enfretado dificultades para regulação em leitos de UTI (Foto: Felipe Durval/Secom Tobias Barreto)

O Ministério Público de Sergipe (MP-SE) vai oficiar o Governo do Estado e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) para que haja transparência e eficácia na regulação de pacientes da Covid-19 do município de Tobias Barreto. O procedimento está sendo iniciado pelo promotor de justiça da região, Paulo José Francisco Alves Filho, que recebeu um abaixo-assinado e inúmeras denúncias da população, nos últimos dias, apontando deficiências na assistência prestada na região.

Segundo vídeo divulgado pelo promotor, o MP apurou que um paciente infectado pelo vírus no município que evolui para um quadro grave de saúde chega a esperar cinco dias para que seja regulado para um leito de UTI. Ainda segundo o promotor, denúncias indicam que pelo menos cinco pessoas morreram nessas condições de demora para conseguir ser colocado em um leito de UTI.

“É uma situação complicada, temos recebido várias reclamações. […] inclusive recebemos recentemente a informação de que uma unidade de atendimento móvel veio levar um paciente para um leito de UTI em Lagarto, mas o veículo estava com defeito, não tinha oxigênio, e precisou retornar ao município. Acabou que o paciente teve sua vaga no leito preenchida por outra pessoa”, detalha o promotor.

Segundo Paulo Francisco, o MP vai oficiar o Governo para que obtenha informações sobre o serviço de regulação e cobrar eficiência para que mais vidas sejam salvas.

SES

Em relação ao paciente José Ramos Filho, a Secretaria de Estado da Saúde esclarece que a Central de Regulação recebeu a solicitação de vaga no dia 2 de julho e no dia seguinte (dia 3), o leito foi disponibilizado no Hospital Universitário de Aracaju e foi solicitada uma ambulância do SAMU.

Porém, pelo quadro clínico bastante agravado, devido à hipertensão, com alteração da função renal e entubado, o paciente não teve condições de ser transportado. No dia 3, a médica com Hospital de Campanha de Aracaju informou que o paciente tinha piorado, ficando instável e acabou vindo a óbito.

Em relação a José Arivaldo, a Secretaria informa que ele estava sendo transferido da UPA Tobias Barreto para o Hospital Universitário de Lagarto, quando o respirador da ambulância apresentou defeito, e ele precisou retornar à UPA para a estabilização. Uma nova ambulância foi enviada e ele foi admito no Hospital de Lagarto, que regulou o paciente para a UTI do Ipes no Hospital Cirurgia.

A Secretaria de Estado da Saúde informa, ainda, que disponibiliza, para pacientes do SUS, 201 leitos de UTI, porém devido à pandemia do novo coronavírus muitos leitos já estão com sua lotação máxima. A Secretaria ressalta, também, que muitas transferências não ocorrem devido à condição de saúde de paciente, como ocorreu com José Ramos Filho.

Por Ícaro Novaes

A matéria foi alterada às 18h38 para acréscimo de nota enviada pela SES.
Comentários