Pacientes com anemia falcifome já estão sendo assistidos em unidades

0
As mães dos pacientes já haviam denunciado a situação (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O quadro de atendimento em saúde para os pacientes com anemia falciforme tem se transformado. Os pacientes diagnosticado com a doença estavam tendo dificuldades no atendimento em urgência e emergência no Estado de Sergipe.

Esta semana, em mais uma reunião na sede da Secretaria de Estado da Saúde, os resultados foram positivos. “Queremos agradecer ao Ministério Público, por meio de sua 9ª Promotoria da Saúde, aos gestores públicos do Estado e do município de Aracaju, e também à Imprensa sergipana. Já foi realizada uma capacitação referente aos eventos agudos em Doenças Falciformes com as equipes médicas do HUSE e as mães já estão sentindo a mudança no atendimento a seus filhos. Nesta reunião foi formada uma Comissão de técnicos da SES e SMS e representantes da Avosos, visando elaborar protocolos que direcionam a assistência ao paciente com anemia falciforme desde Atenção Básica, passando pelos hospitais regionais até o HUSE e ao HU”, informa o presidente voluntário da Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe, Wilson Melo, que esteve acompanhado na reunião pela assistente social Sara Mônica Andrade.

A mãe de um paciente informa que já sentiu melhorias no atendimento em saúde para o seu filho, portador de anemia falciforme. “Tenho fé em Deus que vai melhorar mais ainda, porque os hematologistas estão se reunindo com os clínicos de Aracaju e dos demais municípios para informar como deve ser o atendimento aos pacientes com anemia falciforme. A gente acompanha tudo e os médicos conversam com a gente. Na véspera do feriado [15 de novembro] levei meu filho ao Zé Franco. A médica de lá ficou se comunicando com o hematologista e como o atendimento de lá melhorou e ela ficou se comunicando com o hematologista, não precisou transferir meu filho para o HU. Sou muito grata especialmente a Avosos, pois sozinhos a gente[mães] não conseguiria”, pontua.

Uma outra mãe informou que já nota diferença do atendimento na Saúde Pública para os pacientes com anemia falciforme. “A gente mora em Estância e já fomos avisados que todo mês vem um hematologista para fazer treinamento com os profissionais de saúde aqui do município. A gente fica muito feliz, porque agora as equipes sabem mais como atender o paciente com anemia falciforme. Antes da gente começar este rebuliço todo junto com a Avosos a gente não tinha isso. E lá no HU e no HUSE já melhorou também, porque duas mães comentaram no nosso grupo de whatsapp que os filhos se internaram lá e estava melhor o atendimento, pois quando chegaram eles já sabiam mais o que fazer”, relatou a mãe.

Ainda segundo Wilson Melo, a Avosos, que ao longo desses 32 anos tem assistido 70% a 80% dos pacientes com câncer infantojuvenil e uma menor porcentagem (30,0% a 40,0%) das crianças e adolescentes com a Anemia Falciforme da rede pública do Estado, tem acompanhado de perto as demandas e buscado sensibilizar os gestores para que esses pacientes tenham uma melhor e constante assistência por parte da saúde pública. “Com esta normatização esperamos que fique assegurado a esses pacientes um atendimento permanente e cada vez mais humanizado, ágil, com melhores resultados, oferecendo assim maior segurança, especialmente durante as crises”, pontua o presidente voluntário da Avosos, ressaltando que a próxima reunião com os entes envolvidos está agendada para o mês de janeiro de 2020.

Com informações da Avosos

Comentários