Pacientes com leucemia estão há mais de um mês sem realizar exames

0
Até o momento, não há previsão para a retomada dos exames (Fotos: OAB/SE)
Paciente é ouvida por representantes da comissão da OAB

Pacientes diagnosticados com leucemia estão há mais de um mês com o tratamento interrompido no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) pela falta de realização dos exames imunofenotipagem e citogenética, que são necessários para o acompanhamento da doença. Após um grupo de pessoas assistidas pelo Huse recorrer à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Comissão de Direitos Humanos da instituição realizou uma vistoria nas dependências do hospital na manhã desta quarta-feira, 3, para avaliar as denúncias que receberam dos pacientes oncológicos. Até o momento, não há previsão para a retomada dos exames.

Segundo informações do presidente da Comissão de Direito Humanos, Robson Barros, a ida ao Huse comprovou a veracidade das denúncias feitas pelos pacientes. “Um funcionário do hospital me informou que eram realizados entre 8 e 12 exames por semana. Então, em virtude dessa interrupção mais de 30 pessoas estão sendo afetadas. Isso é gravíssimo”, conta Barros. O advogado explica que este exame é indispensável para a continuidade do tratamento oncológico. “Sem estes exames, o médico avalia o paciente às cegas. Ele é necessário para averiguar a evolução ou não da doença”, relata.

Comissão conversa com funcionários do Huse

Ainda segundo Barros, a comissão pretende terminar o relatório da vistoria ainda esta semana para tomar as medidas necessárias junto à justiça. “Estamos na fase de catalogar tudo que colhemos durante a vistoria. Nós tiramos algumas fotos e ouvimos muitos pacientes”, relata. Barros explica que caso será levado à Procuradoria Geral do Estado. “Estamos analisando em quais tipos de ações criminais iremos enquadrar esta situação”, avalia.

SES

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que está em fase de conclusão o processo emergencial para contratação de empresa que realizará os exames imunofenotipagem e citogenética. “Os trâmites burocráticos estão bastante adiantados e em brevem uma nova empresa será anunciada”, diz a nota. Ainda segundo o comunicado, a SES tinha contrato de um ano com uma empresa para prestação do serviço, mas quando chegou a fase de renovação, embora tenha sido solicitada antecipadamente toda a documentação, a empresa, de última hora, não demonstrou interesse em renovar o contrato.

por João Paulo Schneider 

Comentários