Pais devem se atentar para cumprimento do calendário vacinal infantil

0
(Foto: Sérgio Silva)

Assim que nascem, o bebês já recebem sua primeira imunização, a BCG, que protege a criança contra a tuberculose, principalmente suas versões mais graves. Ao longo da infância, para que seu corpo crie defesas contras outras patologias, outras imunizações devem ser recebidas. Por isso, exceto, atualmente, as oito Unidades Básicas de Saúde (UBS) de referência para atendimento exclusivo de casos de síndromes gripais, a Prefeitura de Aracaju continua ofertando as doses do calendário vacinal infantil em todas as demais unidades.

Importante na prevenção e controle de diversas doenças, a vacina é a forma mais eficaz de proteger crianças de doenças graves, como a poliomielite e o sarampo. De acordo com a gerente de imunizações da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Ilziney Simões, essa prevenção é ainda mais importante diante da pandemia.

“É importante a situação da manutenção vacinal atualizada porque já estamos vivendo a pandemia da covid-19, e acrescentando com outras doenças que podem ser prevenidas por vacinas, pode ser muito pior. Estamos vendo o número de hospitalizações crescendo, leitos de UTI estão cada vez mais difícil. Ter que se deparar com buscas de UTIs para doenças que poderiam ser prevenidas por vacinas, que são ofertadas na rotina das unidades de saúde para a população, de forma gratuita, pode agravar mais a situação”, diz a gerente de imunizações.

Por terem defesas imunológicas frágeis, as crianças estão mais suscetíveis a doenças. Dessa forma, quanto mais cedo recebem as vacinas, mais cedo estarão protegidas. De acordo com o pediatra da SMS, doutor Willian Barcellos, devido à pandemia, o calendário vacinal infantil em Aracaju teve um atraso pois, além da readequação das unidades de saúde, muitos pais não estão levando suas crianças para serem vacinadas.

“A vacinação, principalmente para a pediatria, é algo de extrema importância porque cria uma proteção contra uma doença que pode levar sequelas graves ou até mesmo óbito. Então, ou a criança não desenvolve a doença, ou ela desenvolve de uma forma muito leve. Com a problemática da pandemia, houve um grande atraso no calendário vacinal. Muitos pais ficaram temerosos em sair e expor a criança ao contato com outras pessoas. Mas, é importante manter esse calendário vacinal, mesmo nos tempos de hoje, atualizados, porque as outras doenças ainda existem”, enfatizou o pediatra.

Para manter o calendário vacinal infantil atualizado, as unidades de saúde continuam fazendo a vacinação, mesmo durante a pandemia. Ressaltando a importância dos pais levarem seus filhos para serem vacinados, Willian Barcelos orienta como esse deslocamento pode ser feito com segurança.

“Sempre que forem fazer a vacinação da criança, é melhor que os pais se informem como está o atendimento nos postos de saúde. A unidade mais próxima de casa é sempre melhor, porque evita o maior encontro com outras pessoas. Ver um horário em que a unidade de saúde esteja mais vazia e combinar antecipadamente com o enfermeiro da unidade a vacinação, são cuidados que podem ser tomados para que tenhamos a segurança de que as doenças que conseguimos combater com vacina, a criança estará livre do risco”, destaca o pediatra.

Sem dúvida alguma sobre levar ou não sua filha para ser vacinada, a enfermeira Márcia Izidoro prezou pela segurança de sua criança, de dois meses de idade, e a levou a uma unidade de saúde para receber as vacinas necessárias. Ressaltando a importância da vacinação, a enfermeira optou por uma unidade próxima de casa, uma das medidas de prevenção adotadas ao se dirigir a unidade.

“A levei com toda segurança. Fui com meu esposo, que entrou na unidade, resolveu toda a questão do cadastro e, só no momento da vacinação que eu entrei no posto. Ultimamente, temos visto que algumas doenças que haviam sido erradicadas estão voltando. E isso é justamente porque as pessoas estão esquecendo, nesse momento, que existem outras doenças. Então é muito importante a questão da vacina nas crianças”, diz Márcia Izidoro.

Por ser profissional da área, Márcia salienta que algumas vacinas possuem o tempo previsto para serem aplicadas. “Existem vacinas que o ideal é que sejam aplicadas logo no início do nascimento, na primeira semana de nascimento. O atendimento foi ótimo, a vacina foi aplicada em um posto próximo da minha residência. O posto estava muito limpo, todos usando equipamento de proteção, as cadeiras com o distanciamento adequado”, reconheceu a enfermeira Márcia.

Fonte: AAN 

Comentários