Pediatra alerta quanto ao uso de máscara e do álcool gel em crianças

0
Embora seja menos frequente que em adultos, a criança também pode ter quadro grave de covid-19 (Foto: Freepik)

Em tempos de pandemia de Covid-19, o uso das máscaras tem sido uma das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para diminuir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus. Apesar de ser uma ferramenta bastante importante neste momento, é preciso estar atento e tomar certos cuidados tanto em relação ao uso das máscaras quanto do álcool gel nas crianças para evitar acidentes.

Um dos principais pontos que exige atenção é a questão da idade. Crianças abaixo de dois anos não podem utilizar máscaras, pois correm o risco de sufocamento. Se essas crianças precisarem sair, uma alternativa para diminuir as chances de contaminação é utilizarem, com a supervisão dos pais, os protetores faciais (face shield).

De acordo com a chefe da Pediatria do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco e vinculado à Rede Ebserh (HC-UFPE/Ebserh), a pediatra Georgia Lima de Paula, a primeira recomendação é que as crianças fiquem em casa. “Embora seja menos frequente que em adultos, a criança também pode ter quadro grave de covid-19. O ideal é que as crianças menores de dois anos, que não podem usar máscara pelo risco de sufocamento, fiquem o máximo possível em casa, assim como as crianças maiores também. Só devem sair de casa em situações de necessidade. O uso da máscara demanda muitas regras e cuidados, sendo muito difícil que as crianças sigam essas medidas corretamente”, explica.

Ela ainda reforça que se precisar sair, a criança deve estar com a máscara adequada ao seu rosto e deve evitar ficar tocando nela, além de ser essencial que a família oriente sobre a necessidade de higienizar as mãos antes do manuseio, e também faz um alerta. “Se os pais estão circulando com a criança sem máscara, além de estar correndo riscos, ela pode também levar a doença para a casa, para os idosos daquela família”.

As medidas de atenção também devem ser tomadas quanto ao uso do álcool gel. Ele deve ser utilizado, de preferência, em crianças acima de dois anos e apenas sob a supervisão de um adulto, devendo ser feito somente nos casos em que não há possibilidade de lavar as mãos com água e sabão. Se for utilizado de forma excessiva, ele pode causar irritação, dermatites e até queimaduras, pois a pele das crianças é mais sensível. Após colocar o álcool gel nas mãos das crianças, os adultos devem se certificar de que elas não levarão as mãos à boca ou aos olhos.

Com informações da Rede Ebserh

Comentários