PMA inicia construção de hospital de campanha no Estádio João Hora

0
A obra tem sua conclusão prevista para o próximo dia 29 (Foto: PMA)

Como forma ofertar assistência médica eficiente aos casos de covid-19, sem sobrecarregar o sistema já existente, a Prefeitura de Aracaju vem reformulando toda rede da capital e planejando novos equipamentos de saúde. E nesta quarta-feira, 15, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, a gestão municipal deu início à construção do hospital de campanha – Centro de Atendimento Provisório – para atendimento dos casos de covid-19 na capital sergipana. A obra tem sua conclusão prevista para o próximo dia 29 e está sendo executada no Estádio João Hora de Oliveira, do Club Sportivo Sergipe, no bairro Siqueira Campos.

Resultado de um investimento global de R$ 3.258.000,00, a estrutura física do Centro de Atendimento Provisório, inicialmente prevista para ser mantida por um período de 180 dias, podendo ser desmontada antes, contará com 31 containers com 15m²cada; 17 toldos com 36m² cada para acesso de entrada e saída de pacientes e funcionários; estrutura metálica coberta de 1.600m² para a parte interna principal do hospital de campanha onde ocorrerão os atendimentos.

De acordo com a secretária da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza, a contratação da equipe médica ocorrerá com base na necessidade de horas de atendimento por mês. Ao todo, a Prefeitura oferecerá 9.828 horas por mês, que será distribuída entre médicos contratados de acordo com a disponibilidade de horário de cada profissional.

“A equipe será composta de médicos que serão os contratados e os que são servidores remanejados do Centro de Especialidades Médicas [Cemar]. A estrutura de profissionais que atuarão nessa unidade hospitalar será composta de 65 enfermeiros, 170 técnicos de enfermagem, nove farmacêuticos, 13 fisioterapeutas, 32 profissionais de apoio de rede, e seis auxiliares administrativos”, explicou.

Estrutura

Ainda segundo Waneska, nos containers serão instaladas três salas para DML; duas salas de utilidade; um necrotério, dois salas para paramentação; dois vestiários; quatro banheiros para funcionários; seis salas para descarte de paramentação; 12 banheiros para pacientes; e uma sala para abrigo de resíduos comum e infectante.

“Toda a estrutura interna do Hospital será climatizada e dividida em 134 leitos abertos; 18 leitos de isolamento com porta e visor; seis postos de enfermagem; seis salas para prescrição médica; seis salas de enfermagem; seis salas para armazenamento de roupas limpas e seis para sujas; seis salas de equipamentos; seis farmácias satélite; uma sala de administração; uma sala de reunião; um laboratório, uma copa e um refeitório; três salas de descanso; uma sala de informática e dois almoxarifados, sendo um pra farmácia e um pra equipamentos”, detalha a secretária.

Sobre o investimento na aquisição de materiais e insumos de rotina, prevendo o aumento na demanda desses tipos itens, a SMS já adquiriu parte dos medicamentos, insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Outros medicamentos específicos no tratamento desses pacientes, também estão em processo de aquisição. Também está em andamento a aquisição dos equipamentos necessários para a estruturação dos leitos de retaguarda.

Fonte: PMA

Comentários