População deve manter cuidados preventivos após pico da pandemia

0
O pico de novos casos foi registrado no dia 18 de junho (Foto: Marcelle Cristinne)

Com a capital sergipana situada em novo momento da pandemia do novo coronavírus, no pós-pico, com acentuada redução na média móvel de casos novos, internamentos e óbitos, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), reforça a orientação acerca da necessidade de manter a atenção para os métodos corretos de higiene, necessidade do uso de máscaras e de evitar aglomerações.

Segundo dados compilados pelo Núcleo de Gestão Estratégica da SMS, o pico de novos casos foi registrado no dia 18 de junho, e o de internações e óbitos no dia 6 de julho. Durante esse intervalo de tempo, Aracaju viveu o seu momento de maior estresse da rede. “Naquele momento, o Hospital de Campanha, que é a nossa referência, uma vez que as outras unidades são portas de entrada, tinha uma média de 52 internações, o que correspondia a uma ocupação de 86% dos leitos disponíveis”, destaca o secretário-adjunto da Saúde, Carlos Noronha.

Considerando que o período de transmissão e aparecimento dos sintomas da covid-19 pode ser compreendido entre 7 e 14 dias, foi preciso transformar a forma como se compreende a evolução das transmissões. “Média móvel é a avaliação da média dos números de casos novos do período seja por sete dias ou quatorze dias para ter uma melhor avaliação, pois como os resultados podem ter algum problema de liberação pelo laboratório a avaliação por dia pode sofrer interferência e não mostrar a realidade do momento”, esclarece a diretora de Vigilância e Atenção em Saúde, Taíse Cavalcanti.

Utilizando as informações desta forma (média móvel de 7 dias) foi possível constatar uma queda de 76,2% no número de novos casos, comparando-se à semana de pico e que encerrada na sexta-feira (28 de agosto). A redução no número de óbitos e internações também foram expressivas, 79,8% e 37,5%, respectivamente.

Os bons resultados, no entanto, não podem servir de motivo para afrouxar os cuidados preventivos ao contágio. “Embora estejamos no momento pós-pico, com uma rede menos saturada, não devemos deixar de ter atenção aos cuidados. A pandemia não acabou. Então, o uso de máscara continua sendo obrigatório, assim como se deve seguir todas as recomendações da OMS, como higienizar as mãos sempre que possível e evitar aglomerações, inclusive como forma de evitar uma segunda onda de transmissões”, ressalta o secretário-ajunto da Saúde de Aracaju.

Fonte: SMS

Comentários