Prefeitura assegura diagnóstico e tratamento para tuberculose

A oferta de tratamento e diagnóstico é em toda rede municipal de saúde de Aracaju. (Foto: Ascom/SMS)

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch, e afeta, principalmente, os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e sistemas. A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), durante todo o ano desenvolve ações focadas no diagnóstico precoce e cuidados com a saúde.

Este próximo domingo, 24, é o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, e a gestão municipal está engajada em intensificar a conscientização e o alerta à população sobre a importância da prevenção, identificação precoce e cuidados com a doença, ao longo de todo o mês de março.

Em 2023, foram confirmados 288 casos na capital sergipana, dos quais 45 abandonaram o tratamento e 10 foram à óbito pela doença. Nestes três primeiros meses de 2024, já foram confirmados 44 novos casos de tuberculose, com 16 abandonos e três óbitos por tuberculose.

“O número de abandonos ao tratamento é alto, visto que, quando apresentam melhora dos sintomas, muitos pacientes deixam de tomar os medicamentos. Por isso a importância dos profissionais de saúde em apoiar e monitorar o tratamento, por meio de um cuidado integral e humanizado, conscientizando o paciente da importância do uso dos medicamentos corretamente, até a finalização do tratamento, pois a interrupção pode levar o paciente à resistência aos antibióticos ou mesmo a complicações que podem levar a óbito. Além disso, pode aumentar o risco de transmissão da doença para outras pessoas”, destaca a referência técnica de Tuberculose da SMS, Mariana Aragão.

Formas, transmissão e sintomas

A tuberculose é classificada em três formas: a pulmonar, que atinge o pulmão; a extrapulmonar, que atinge qualquer outro órgão, e a pulmonar mais extrapulmonar, quando o indivíduo é afetado pela tuberculose no pulmão e em outro órgão.

“A doença é transmitida por via respiratória, pela eliminação de aerossóis produzidos pela tosse, fala ou espirro de uma pessoa com tuberculose ativa e sem tratamento. Diante dos sintomas de tosse persistente, febre vespertina, suor noturno e emagrecimento, é fundamental procurar a Unidade de Saúde da Família mais próxima para avaliação e realização de exames”, ressalta a técnica.

Diagnóstico e tratamento

A confirmação da doença é realizada pelo exame bacteriológico de Teste Rápido Molecular (TRM), assim como também são utilizados exames auxiliares, como os de imagem e bioquímicos.

“No caso da tuberculose pulmonar, que é a infecção mais comum, o paciente realiza o tratamento na sua unidade referência, que consiste no acompanhamento da equipe de saúde da família, avaliação, exames periódicos e medicação específica para identificação precoce dos casos de tuberculose e a redução da transmissão da doença. Já na referência em Tuberculose, localizada no Cemar Siqueira Campos, são atendidos e acompanhados por uma equipe multiprofissional, os casos de tuberculose extrapulmonar, falência ao tratamento, resistência às medicações e reação adversa maior da medicação”, complementa Mariana.

A tuberculose tem cura, desde que diagnosticada precocemente e tratada corretamente junto à adesão do paciente. O tratamento tem uma duração mínima de seis meses e sob nenhuma hipótese a pessoa infectada deve abandonar o tratamento antes do tempo, mesmo que os sintomas tenham desaparecido.

 

Fonte: Prefeitura Municipal de Aracaju 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais