Campanha de vacinação contra gripe termina terça, 30

0
Foto: Sérgio Silva

Na próxima terça-feira, dia 30 de junho, termina a terceira e última fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, cujo objetivo é vacinar grupos prioritários formados por crianças a partir dos seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas, professores, pessoas com deficiência e pessoas de 55 a 59 anos de idade.

A meta do Ministério da Saúde é que 90% dessa população sejam vacinadas. Em Aracaju, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) já imunizou  87,84% desse público alvo, num total de 161.098 doses aplicadas. A expectativa, até esta sexta-feira, 26, é atingir a meta ministerial. Pessoas de outros grupos prioritários das fases anteriores que ainda não se vacinaram, ainda podem procurar o serviço.

A primeira etapa da campanha teve início no último dia 23 de março, mas, de forma estratégica, a SMS antecipou-se à mobilização nacional, iniciando a vacinação no dia 21 de março, com o objetivo de ganhar mais tempo para imunizar os idosos e trabalhadores de saúde, públicos alvos, evitando aglomerações e possibilitando uma melhor condição para que os cidadãos em grupos de risco possam seguir na quarentena.
A estratégia deu certo e a primeira etapa da campanha na capital transcorreu de forma célere e tranquila em diversas Unidades Básicas de Saúde (UBS). De acordo com a coordenadora do Programa de Imunização da SMS, Ilziney Simões, até esta terça-feira (24), 125,12% da população idosa foi imunizada, sendo que a meta foi atingida logo no início do mês de abril, colocando Aracaju entre as três primeiras do país a vacinar 90% das pessoas com idades acima de 60 anos. Na primeira fase, além da população idosa, os trabalhadores da saúde também foram imunizados de maneira recorde: 125,91%.
“Depois do dia 30 de junho, a vacina passa ser ofertada para toda a população, se não houver prorrogação mais uma vez pelo MS. Por isso a importância das pessoas prioritárias procurarem as unidades ainda neste período, porque não vão concorrer pela vacina justamente com as pessoas que não são público alvo da campanha”, diz a coordenadora.
Preocupação
Embora a campanha tenha imunizado mais de 100% da população idosa e dos trabalhadores da saúde, outros grupos prioritários não atingiram a meta, a exemplo de crianças de seis meses a seis anos de idade, puérperas, gestantes, e adultos de 55 a 59 anos, com média igual ou menor que 50%. E essa questão tem inflado preocupação da SMS.
“O MS diz que tem que se alcançar 90% dessa população prioritária. Mas quando vai distribuir esses 90% pelos grupos prioritários, se vê uma diferença grande de um grupo para o outro. Em Aracaju, gestantes, crianças, puérperas e pessoas de 55 a 59 anos não estão seguindo a mesma dinâmica dos demais grupos. A gente vê que as coberturas estão baixas. No âmbito epidemiológico, é preocupante, porque a maioria ainda não está protegida”, alerta a coordenadora.
Vacinação de rotina
Ilziney Simões lembra que as vacinas de rotina continuam sendo ofertadas em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município, exceto em oitos UBS, que estão atendendo casos prioritários de síndromes gripais, por conta da covid-19. “As unidades continuam ofertando as vacinas normalmente, a única diferença é que em oito delas não, por estarem voltadas para atendimentos de pessoas com síndrome gripal. As outras 37 UBS da cidade seguem com seus atendimentos de forma espontânea e organizada, evitando aglomerações”, diz, ao ressaltar que a procura pelas vacinas de rotina caíram bastante nas unidades básicas de saúde para todas as faixas etárias.
“Isso é preocupante, porque estamos vivenciando esse problema da covid-19 e também um possível problema de termos doenças que estavam controladas por vacinas. São doenças graves que podem causar hospitalizações e até mesmo o óbito, principalmente para as crianças, que recebem o maior elenco de vacinas ofertadas pelo SUS”, complementa.
As oito unidades onde há atendimento a pessoas com síndrome gripal são: UBS Augusto Franco, no conjunto habitacional que leva o mesmo nome; UBS Geraldo Magela, no conjunto Orlando Dantas; UBS Ministro Costa Cavalcante, no Jardim Esperança; UBS Fernando Sampaio, no bairro Castelo Branco; UBS Cândida Alves, no bairro Santo Antônio; UBS Eunice Barbosa, no bairro Coqueiral; UBS José Machado de Souza, no bairro Santos Dumont; UBS Onésimo Pinto, no bairro Jardim Centenário.
Esforços
Ilziney Simões faz questão de destacar os esforços da Prefeitura de Aracaju, por meio da SMS, no sentido de dar continuidade à campanha de imunização da gripe em meio à pandemia da covid-19.
“Todos os esforços foram envidados pela SMS para realizarmos uma campanha contra a influenza de forma segura, neste momento de pandemia. A gestão proporcionou tanto a vacinação nas UBS como também a realização de vacinação extramuros, como na modalidade de drive thru, em praças de bairros movimentados, e isso contribuiu para que ofertássemos vacinas a esses grupos prioritários. A SMS reforça a importância da manutenção da busca por vacina de rotina para garantir que doenças controladas não venham se somar com a covid-19”, conclui a coordenadora.
Vale lembrar que esta vacina não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico da gripe, já que os sintomas são parecidos, para chegar mais rapidamente a conclusão do diagnóstico. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde.

 

Fonte: Prefeitura de Aracaju  

Comentários