Projeto do Sírio Libanês pretende reduzir superlotação no Huse

0
No Huse o projeto contará com seis meses de intervenção mais 12 meses de monitoramento (Foto: Valter Sobrinho)

O Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) recebeu a visita da equipe técnica do Hospital Sírio Libanês, para início de uma Capacitação sobre Gestão Avançada para Serviços de Urgência.

É a apresentação do Projeto Lean nas Emergências que visa melhorar a gestão racionalizando recursos, otimizando espaços e insumos. Um projeto do Ministério da Saúde desenvolvido por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS – Proadi/SUS, executado em parceria com o Hospital Sírio Libanês. O projeto já passou por 97 hospitais de 23 Estados do Brasil e no Huse contará com seis meses de intervenção mais 12 meses de monitoramento.

De acordo com o médico emergencista e responsável pela metodologia Lean na saúde, Gutemberg Lavoisier, o projeto envolve todas as áreas do hospital, a partir da porta de entrada até a saída do usuário, qualificando o hospital no cenário nacional. “A gente consegue colocar o hospital no cenário nacional de qualificação, lembrando que essa qualificação é operacional e não assistencial, mas, melhorar os processos operacionais faz também melhorar os processos assistenciais e o objetivo é que os pacientes sejam atendidos na hora e no tempo com o cuidado certo”, explica.

O Huse, através do Ministério da Saúde, fez uma solicitação em uma comunidade na internet que é a Lean na Emergência, pedindo para ser contemplado no projeto. Por se tratar de um projeto público do Ministério da Saúde, com recursos federais, o pedido foi analisado em conjunto com o Hospital Sírio Libanês e o Huse foi aceito por apresentar os parâmetros da superlotação que é exigência mínima. O Diagnóstico de Demanda e Capacidade (DDC) foi analisado pelos técnicos que chegaram a conclusão de alguns problemas apresentados pelo hospital e que devem ser melhorados.

Para a coordenadora do Pronto Socorro do Huse, Débora Feitosa, a ação junto à Secretaria de Estado da Saúde (SES) tem o objetivo de somar esforços no alinhamento dos processos internos visando a diminuição da superlotação. “Nossa expectativa é melhorar a assistência ao paciente e contribuir com as rotinas dos nossos colaboradores para minimizar os desgastes gerados pela superlotação”, disse a coordenadora.

Programação

A programação da manhã teve início com a apresentação institucional do Hospital Sírio Libanês e do Projeto Lean nas Emergências, em seguida foi a apresentação e discussão do DDC. No período da tarde foi a vez das aulas teóricas sobre VOC e VOB, 5S e Kanban, além da visita 5S com check list de auditoria e coleta de fotos no Pronto Socorro do Huse, finalizando o dia com a documentação dos planos de ação 5S.

De acordo com o consultor técnico do Sírio Libanês, Emerson Pereira, a equipe estará durante seis meses no Huse. “Nosso trabalho nos próximos seis meses será uma jornada enriquecedora em que nós temos a possibilidade de estarmos melhorando o processo, entregar a melhor agregação possível ao cliente. Executaremos os treinamentos e estaremos juntos com as ferramentas do lean e com os profissionais que conhecem todas as metodologias. Hoje, nós apresentamos uma implementação de 5S na farmácia satélite aqui do Huse, a dinâmica é levar as pessoas para o local e mostrar as boas práticas, identificar as oportunidades de melhorias, e a partir disso estabelecer as implementações”, explicou o consultor técnico do Sírio Libanês, Emerson Pereira.

Fonte: SES

Comentários