SE espera receber mais vacinas para atingir meta de 100% de vacinação

0
Sergipe espera receber mais vacinas para alcançar meta de 100% de vacinação com a primeira dose (Foto: Valter Sobrinho/SES)

Sergipe recebeu nesta quarta, 15, mais uma remessa  de vacinas do Ministério da Saúde para aplicação de primeira dose para o público adulto de 18 anos ou mais. Foram 11.700 doses do imunizante da Pfizer que desembarcou no aeroporto de Aracaju, às 14:30h, em um voo da Latam.

A Secretária Estado de Saúde, Mércia Feitosa, a Secretária Municipal de Saúde de Aracaju, Waneska Barbosa, e o Superintendente do Ministério da Saúde em Sergipe, Tiago Rangel, acompanharam a chegada do lote. Segundo Thiago, o MS já enviou as doses para a população estimada de adultos no estado e este seria o último lote. “A meta que foi traçada pelo Ministério da Saúde foi alcançada”, destacou.

A secretária, Mércia Feitosa, pontuou que ainda falta uma quantidade significativa de doses para alcançar a meta de 100% de vacinação com a primeira dose. “Para atender a população estimada em Sergipe, tem que ter um acréscimo em torno de 43 mil doses para fecharmos a primeira dose para o público acima de 18 anos. A distribuição tem ocorrido de forma organizada, de acordo com o cronograma e, geralmente, 24 horas após o recebimento’, disse.

Mércia destacou que o Ministério já foi comunicado da necessidade e conta com um acordo para o envio de mais doses a Sergipe. “Nós já comunicamos ao Ministério da Saúde, ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e a coordenação geral do Plano Nacional de Imunizações. Esperamos chegar a um entendimento para receber nova remessa”, enfatizou.

Segundo a secretária, os municípios sergipanos, hoje, têm vacinas. O que eles relatam é a dificuldade de acessar a todas as pessoas que ainda não tomaram a primeira dose. A SES havia enviado nota técnica aos municípios para que ampliassem a faixa etária de vacinação sob algumas condições.

“Quem tem vacina a gente orienta a meta de percorrer quem tem 18 anos ou mais porque muitos já estão fazendo a vacinação dos adolescentes. Nós não recebemos do Ministério da Saúde doses para reforço e adolescentes de 12 a 17 anos. A gente pactuou com os municípios que, para que a vacina não ficasse parada, se iniciasse a vacinação dos adolescentes, considerando, principalmente, a possibilidade da circulação da variante Delta e que não atingisse uma grande população sem nenhum tipo de imunização. Por isso, iniciamos com os adolescentes com comorbidades porque têm um risco maior”, finalizou.

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais