Servidores da saúde paralisam por reajuste em sete unidades de saúde

0
Servidores fazem ato em frente ao Palácio dos Despachos. (Foto: Portal Infonet)

Servidores da saúde do Estado de Sergipe iniciaram uma nova paralisação de 24h a partir de um manifesto na manhã desta quinta-feira, 14, em frente ao Palácio dos Despachos, em Aracaju. Os trabalhadores paralisam em cerca de sete hospitais e apelam para que o governador Belivaldo Chagas (PSD) os atenda e acate o pedido de reajuste salarial, cujo congelamento ocorre há oito anos, segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde (Sintasa).

A paralisação ocorre em hospitais regionais de Nossa Senhora da Glória, Lagarto, Propriá, Nossa Senhora do Socorro, Capela e Estância e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Boquim.

No último mês, o presidente do Sintasa, Augusto Couto, salientou ao Portal Infonet que a previsão de paralisação pela segunda vez em um prazo de dois meses se devia a falta de avanço na negociação com os membros do Governo de Sergipe nas mesas de negociação. Conforme o sindicalista, o reajuste salarial estava sendo ignorado durante as conversas.

Augusto Couto reafirma necessidade de diálogo com o governador Belivaldo. (Foto: Portal Infonet)

Nesta quinta, Augusto explica que desde a deliberação da paralisação, não houve continuidade do diálogo e as pautas permanecem travadas. “Cobramos reajuste salarial dos servidores, além da discussão sobre o acordo coletivo e sobre o plano de remuneração, que queremos que avance, mas está estacionado”, ressalta. Segundo o presidente do Sintasa, apesar da falta de indicativo de uma conversa com o governador, houve uma reunião com membros da Secretaria de Estado da Saúde (SES) na última quarta-feira e há uma expectativa de novo encontro na tarde desta quinta.

“Ontem tivemos uma conversa com membros da SES e nós apresentamos pontos imediatos que poderiam ser acatados pelo governo, a exemplo do ajuste da carga horária dos enfermeiros e do auxílio-alimentação dos servidores. Hoje a tarde haverá mais uma negociação com todos os sindicatos da saúde e avaliaremos a questão do acordo coletivo. A secretaria informou que há alguns pontos que já podem contemplar as categorias e esperamos que eles realmente sejam benéficos”, conclui o sindicalista.

A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) do Governo informa que nesta quinta-feira, 14, às 16h, haverá uma reunião entre o Sindicato e a superintendente executiva da SES para discutir a pauta da categoria.
O diálogo permanece aberto e as discussões estão avançadas.

por Daniel Rezende

Comentários