SES inicia curso sobre doenças com foco na mortalidade infantil

0
A capacitação está sendo ministrada pelo facilitar do MS, o enfermeiro Ricardo Soletti, para quem o Aidpi é mais uma dentre as outras ações da Política Nacional de Atenção à Saúde da Criança (Foto: Flávia Pacheco)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Ministério da Saúde (SES), deu início nesta segunda-feira, 21, à capacitação sobre a estratégia Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (Aidpi), com foco no enfrentamento à mortalidade infantil. O evento, que segue durante toda a semana nos períodos da manhã e da tarde, está acontecendo no auditório da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), e reúne profissionais de saúde das sete regiões do Estado.

Com o objetivo de torná-los facilitadores do Estado na estratégia Aidpi, a SES e o MS querem reduzir os índices de mortalidade infantil em Sergipe, que registrou em 2018 uma taxa de mais de 16 mortes para cada mil crianças nascidas vivas, segundo informações da Referência de Gestão da Rede Materno-infantil, Helga Muller. A capacitação está sendo ministrada pelo facilitar do MS, o enfermeiro Ricardo Soletti, para quem o Aidpi é mais uma dentre as outras ações da Política Nacional de Atenção à Saúde da Criança.

“A estratégia Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância é uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), que visa a redução da mortalidade infantil em crianças menores de cinco anos e o seu foco é a classificação das doenças mais prevalentes, bem como assistência qualificada e integrada às crianças que buscam atendimento nas unidades básicas de saúde”, explicou Soletti.

O objetivo da capacitação, segundo in formou Olga Muller, é a qualificação dos profissionais da Atenção Primária, para que possam se tornar multiplicadores da estratégia em seus territórios e regiões, considerando que cada uma delas enviou três profissionais para o curso.

A enfermeira da Secretaria de Saúde de Nossa Senhora da Glória, Larissa Menezes Silva, acredita que a estratégia Aidpi vem reforçar as ações que já são desenvolvidas em seu município no combate à mortalidade infantil, como vacinação e pré-natal. “Estou muito comprometida em me formar facilitador estadual para multiplicar em minha região o que aprender aqui”, disse a profissional, informando que em seu município a taxa de mortalidade chega a 16 para cada mil nascidos vivos.

A mesma expectativa tem a enfermeira da Secretaria de Saúde de Propriá, Maria Cecília Santos Melo. “Acho importante a capacitação porque vem reforçar os conhecimentos que já temos na área e nos preparar para melhorarmos a qualidade do atendimento que oferecemos à infância”, disse.

A estratégia

A Estratégia Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância tem por objetivo diminuir a morbidade e a mortalidade de crianças entre dois meses a cinco anos de idade, por meio da melhoria da qualidade da atenção prestada à criança por profissionais de saúde, em especial na Atenção Básica à Saúde. Propõe melhor organização dos serviços de saúde, ações de prevenção de agravos e promoção da saúde, além da melhora do acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento nos primeiros anos de vida.

O Aidpi Criança se alicerça em três pilares básicos: capacitação de recursos humanos no nível primário de atenção; reorganização dos serviços de saúde; e, educação em saúde, na família e na comunidade, de modo que haja participação e todos na identificação, condução e resolução dos problemas de saúde dessa família, especialmente dos menores de cinco anos.

Fonte: SES

Comentários