SES orienta municípios para o Dia “D” de combate ao mosquito Aedes

0
Ações ocorrem no dia 30 (Foto: SES)

Na próxima sexta- feira, 30, o país se mobiliza para o Dia “D” de combate ao mosquito Aedes Aegypti, vetor responsável por doenças como a dengue, zica e chikungunya. Em Sergipe, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) orienta durante esta semana os 75 municípios em relação à campanha. Nesta segunda-feira, 26, a Diretoria de Vigilância em Saúde se reuniu com os supervisores que atuam nos territórios das Regiões de Saúde para também orientá-los sobre a mesma agenda.

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, a SES, através da Gerência de Endemias, conversa continuamente com os municípios para as ações cotidianas, mas para o Dia “D”, foi enviado um ofício falando sobre a importância da mobilização, dando orientação de ações, com sugestões do que pode ser desenvolvido, a exemplo de atividades articuladas com outros setores da administração, como Educação, Obras ou Assistência Social.

Para a diretora, a mobilização da população é fundamental no controle do vetor. “Nós temos as ações que são de gestão desenvolvidas pelos agentes de endemias e que são diárias, e temos a população, que precisa ser parte integrante desse processo. Como eu posso contribuir como cidadã ou cidadão no controle do Aedes? O que eu posso fazer dentro da minha casa para evitar os criadouros do mosquito? O que posso fazer para orientar meu vizinho?, reflete Mércia Feitosa.

Segundo ela, 80% dos criadouros do Aedes Aegypti estão concentrados dentro das casas, principalmente nas lavanderias, de acordo com estudos, o que é comprovado no dia a dia dos agentes de endemias.  “A população tem que entender que não podemos deixar o mosquito nascer e eu só impeço isso eliminando os criadouros, o que é possível adotando as medidas já amplamente conhecidas da população, que são não acumular água limpa em vasilhames abertos, em pneus, em plantas, fazer a limpeza de calhas e do telhado e manter sempre coberto o reservatório da lavanderia”, relacionou.

Supervisores

Eles são profissionais de saúde vinculados ao Estado e distribuídos nos territórios das regiões de saúde. Sua função é acompanham a rotina das ações que são desenvolvidas pelos municípios. Monitoram, acompanham e avaliam o que está sendo feito e mensalmente trazem os relatórios para a Gerência de Endemias. A partir da detecção de fragilidades ou dificuldades, a SES se articula com os municípios para encontrar soluções para resolvê-las.

Fonte: SES

Comentários