Almeida Lima depõe no MP sobre ala da nefrologia do Huse

0
Almeida Lima deixa prédio do MPE após uma hora de depoimento (Fotos: Portal Infonet) 

O secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima, depôs por quase uma hora na Promotoria de Saúde do Ministério Público Estadual (MPE) nesta sexta-feira, 4, para explicar o episódio da ‘inauguração’ da nova ala de nefrologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), com o prédio ainda pendente de serviços, no dia 5 de abril deste ano. O depoimento do secretário ao promotor de justiça Francisco Lima Júnior foi gravado em vídeo para vias de apuração do MPE. O promotor não quis gravar entrevista e afirmou que o Ministério Público não vai se pronunciar a respeito do depoimento de hoje.

Já Almeida Lima informou que foi ao Ministério Público apenas para relatar ‘os fatos como aconteceram’ e não vê equívoco na inauguração. “Foi tudo planejado para acontecer da forma que, de fato, aconteceu”, frisou. O secretário também não vê motivos para responsabilização, caso haja esse entendimento do MPE. “Responsabilidade por que? Em decorrência de que? Responsabilidade por qual fato? Qual o fato prejudicial ao erário ou as pessoas? São questões que forçosamente são respondidas negativamente. A inauguração não poderia ser feita com pacientes, com funcionamento [imediato]. Não se inaugura uma unidade hospitalar com os pacientes nos leitos ou recebendo hemodiálise”, se defende.

Episódio marcado por polêmicas

Audiência foi a portas fechadas no MPE 

Na cerimônia de inauguração do setor de nefrologia, no dia 5 de abril, que marcou a despedida de Jackson Barreto [MDB] do Governo de Sergipe, para se dedicar à pré-candidatura ao Senado, foi informado aos presentes que a partir da segunda-feira, 9, as novas estruturas já admitiriam pacientes na fila de espera do Huse – o que não ocorreu. Uma visita da Associação de Renais Crônicos de Sergipe constatou que, na verdade, o prédio foi inaugurado sem todos serviços completos. As macas e máquinas apresentadas na inauguração, também haviam sido retiradas do local. Desde então, o Ministério Público Estadual passou a apurar o caso – culminando no depoimento do secretário nesta sexta-feira.

A polêmica estourou quando Belivaldo Chagas [PSD] já havia tomado posse do Governo, após a saída de Jackson Barreto. Ele mostrou incômodo com o episódio, disse que houve equívoco na inauguração, e chegou a deixar em aberto uma troca no comando da Saúde.

Por Ícaro Novaes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais