Beatificação: equipe do Vaticano vai pesquisar vida de Frei Miguel

0
Cerimônia foi realizada nesta quinta-feira, 1º (Fotos: Portal infonet)

Uma equipe formada por membros nomeados pelo Vaticano vai pesquisar a vida Frei Miguel, frade capuchinho que se tornou conhecido como “O Apóstolo de Aracaju”. A abertura oficial do processo de beatificação ocorreu na noite desta quinta-feira, 1º, com missa presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom João José Costa, na Paróquia São Judas Tadeu, localizada no bairro América.

 

Frei João Paulo Freire

O Frei João Paulo Freire, que e pároco da Paróquia São Judas Tadeu, destaca que o reconhecimento do Vaticano em relação ao Frei Miguel, é algo histórico para o povo sergipano. “Essa é uma data histórica porque o Vaticano reconhece que alguém que moro em Aracaju morreu com fama de santidade. Todo o estado de Sergipe reconhece em Frei Miguel esses sinais de santidade, pois ele era visto pela rua com os mais pobres, os mais ricos, sempre acolhendo a quem precisava”, comenta.

Ainda não existe prazo, conforme informações do Frei João Paulo, para conclusão do processo de bestificação. “A partir de agora, a Igreja vai pesquisar a fundo a vida de Frei Miguel. Um vice-postulador será anunciado e uma equipe sigilosa vai estudar a história e os milagres de Frei Miguel”, detalha.

Dom João José Costa

O arcebispo metropolitano, Dom João José Costa, também relembrou a importância de Frei Miguel para Sergipe. “Frei Miguel foi um grande missionário italiano que durante muitos anos serviu ao povo. Todos os sergipanos sabem o quanto ele se aproximada dos mais pobres, das periferias e dos doentes. Através do Frei Miguel e do sacramento da reconciliação pregado por ele, muitas pessoas alcançaram suas graças e se reconciliaram com Deus”, destaca.

Confirmada para esta quinta-feira, 1º de novembro, nesta quinta-feira, a abertura oficial do processo de Beatificação do Frei Miguel, frade capuchinho que se tornou conhecido como “O Apóstolo de Aracaju”, e a quem o povo de Deus atribui uma vida de santidade.  A cerimônia, sob a presidência do arcebispo metropolitano, Dom João José Costa, ocorrerá às 19h na paróquia São Judas Tadeu, comunidade onde o Frei Miguel exerceu seu ministério por várias décadas.

Beatificação

O tempo canônico exigido pela Igreja para iniciar esse processo é de 5 anos, contado a partir do dia do falecimento do capuchinho. Ele morreu em 9 de janeiro de 2013 com 104 anos de idade.

Em 9 de Julho de 2013, o então Arcebispo Metropolitano de Aracaju, Dom José Palmeira Lessa, publicou uma oração pela qual os fiéis pedem a Beatificação do Frei Miguel. No dia 9 de cada mês, são celebradas 3 missas em sua memória, (6h30, 16h30 e 19h30) com grande participação dos fiéis.

Em 2017, uma comissão (tribunal canônico) constituída pelo Arcebispo Metropolitano, fez a catalogação de depoimentos de curas e milagres atribuídos à intercessão daquele que também ganhou o título de missionário capuchinho da caridade e da reconciliação.

Por Verlane Estácio com informações da Arquidiocese de Aracaju

Comentários