Corredor Cultural realizará mostra “Entre Irmãos”

0
Exposição acontece no dia 2 de maio (Foto: Secult)

Há três anos instalado na Sede da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), o “Corredor Cultural Wellington dos Santos, ‘Irmão’, será inaugurado festivamente nesta quarta-feira, 2 de maio, às 10h30, pelo secretário João Augusto Gama. Desta vez será exposto até o dia 4 de junho a obra do artista visual, ‘Éverton’, irmão do saudoso  músico sergipano Wellington dos Santos, que era popularmente conhecido como ‘Irmão’, através da exposição batizada “Entre Irmãos”.

Mantendo firme o trabalho e o objetivo de sempre divulgar a arte e os artistas sergipanos em três modalidades: pintura, escultura e fotografia, podendo também fazer incursão da xilogravura, a cada edição o “Corredor Cultural Wellington dos Santos, ‘Irmão’, aproveita o teor multicultural e festivo do evento para também homenagear pessoas e personalidades de diversos segmentos artísticos, que de alguma forma mantêm laços com o tema da exposição em cartaz, agraciando-os com um certificado de menção honrosa diante dos serviços prestados em prol da arte.

Nesta exposição, “Entre Irmãos”, dedicada à memória do cantor e compositor Irmão, ‘Éverton’ apresentará 35 obras divididas entre pinturas e esculturas, que como bem define o filho dele, o professor de Filosofia, Marcus Éverson Santos, “no fundo, seu desejo é recompor o estatuto do belo, retornando às raízes mais profundas da nossa cultura para com isso, resgatar o sentido último da nossa própria existência. A desfiguração em sua arte é programática e visa denunciar aquilo que há de devastador e degradante em nossa cultura cada vez mais axiofóbica e violenta”, revela.

Informações sobre o artista

Aracajuano de nascimento, ‘Éverton’ deu os seus primeiros passos artísticos, na infância. Aos oito anos de idade, quando em meio às peripécias de criança, desenhava nas calçadas da Rua Riachão com Maruim, nas redondezas da antiga Caixa D´água (Maloca, Baixa Fria), aonde morava, juntamente com Pithiu, amigo de infância e atualmente também artista plástico.

‘Éverton’ aproveitava os momentos de descanso do trabalho e desenhava nas barracas dos comerciantes, cenas do cotidiano da feira: bêbados, carregadores, vendedores, o relógio do Mercado e as canoas tó-tó-tós atravessando para a Barra dos Coqueiros mostrando, desde cedo, certa vocação para o desenho. Vocação esta, que tudo indica, tenha sido herdada do pai dele, que também era desenhista.

Com o passar dos anos ‘Everton’ foi pintando em vários tipos de suportes, tais como papel, madeira e telas, onde a princípio a arte era encarada como um tipo de hobby, que resultou numa prévia do verdadeiro espírito artístico assumido. Assim como todo principiante, fazia cópias a pedido dos amigos e ou por encomendas. Copiar os grandes mestres da pintura foi um excelente exercício pessoal para o domínio da técnica acadêmica e da pintura a óleo. Mas, para garantir o sustento financeiro, o convívio com o pintor João Batista propiciou a ‘Éverton’ experimentar a primeira profissão como pintor: pintava letreiros, placas e faixas sob encomenda.

Em 1973 ele realizou a sua primeira exposição individual na Galera Álvaro Santos, ponto determinante para o amadurecimento de um estilo próprio. Nos anos seguintes ele fez exposições individuais, participou de coletivas, salões de arte, Bienais aqui em Aracaju, Salvador, Recife, Maceió e Brasília. Já em 1979 apareceram as primeiras polêmicas sobre o trabalho dele a partir da pintura “Crucificado pelos críticos” e a “Corrida Noturna” telas que, por sua expressividade, foram determinantes para o caminho que a pintura dele tomaria a partir de então.

O Corredor Cultural Wellington dos Santos, ‘Irmão’, fica situado na Rua Vila
Cristina, 1051. Bairro 13 de Julho – Aracaju/SE.

fonte: Secult

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais